Topo

Coluna

Paulo Chaccur


Paulo Chaccur

11 sinais que podem servir de alerta para um problema no coração

O coração executa um bombeamento de aproximadamente 100 mil contrações por dia - Istock
O coração executa um bombeamento de aproximadamente 100 mil contrações por dia Imagem: Istock
Paulo Chaccur Por Dr. Paulo Chaccur

Diretor da Cirurgia Cardiovascular no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, é formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e possui mais de 40 anos de experiência.Na década de 90, Chaccur passou a liderar a própria equipe de cardiologia e cirurgias cardíacas no HCor (Hospital do Coração).

Por Dr. Paulo Chaccur

Colunista do UOL

29/09/2019 04h00

Se você pensa que os sintomas de um problema cardíaco se resumem a dor no peito e falta de ar, este texto é para você

Muitas vezes o coração dá sinais sutis, difíceis de notar, entender e associar com as doenças cardíacas. São sintomas pouco conhecidos ou que se confundem com outros problemas mais comuns. Por isso, é importante estar atento ao seu corpo e dar à devida importância as mensagens que ele envia.

O coração é considerado uma máquina perfeita: ele executa um bombeamento de aproximadamente 100 mil contrações por dia, fazendo circular o sangue pelo organismo. Assim mantém a vitalidade de todos os órgãos e tecidos.

E como uma máquina, para garantir seu bom funcionamento é preciso que todas as peças e engrenagens estejam em perfeito estado, executando suas funções. Quando alguma delas para ou apresenta falhas, afeta o desempenho do coração como todo, às vezes sobrecarregando ele próprio ou outros órgãos e prejudicando funções do corpo.

Muito além das dores no peito e falta de ar, outros sintomas podem indicar que algo não está bem no seu coração:

1 - Fadiga ou esgotamento

Esse é o primeiro sintoma que acusa que algo está errado. Quando o coração está fraco ou dilatado, não bombeia o sangue com eficiência para pulmões e músculos, causando fadiga. Esse é um sinal de inúmeras doenças cardíacas, como as arritmias (entre elas a fibrilação atrial), doenças valvares, insuficiência cardíaca em fase inicial e a hipotensão arterial (ou seja, a diminuição dos valores da pressão arterial). O sinal pode vir acompanhado de falta de ar e provoca desconforto, principalmente ao realizar esforços físicos, como subir escadas ou durante uma caminhada.

2 - Falta de apetite e náuseas

Em um primeiro momento essas sensações no corpo nos remetem a problemas digestivos, viroses e até a possibilidade de ter ingerido um alimento estragado. No entanto, pessoas que sofrem de doenças cardíacas também podem apresentar falta de apetite e náuseas.
Isso ocorre quando há o mau funcionamento do coração no lado direito, por uma alteração anatômica da válvula tricúspide ou pelo aumento da resistência das artérias do pulmão, conhecida como hipertensão arterial primária. O problema gera um aumento do fígado ou ainda o acúmulo de líquidos em volta do órgão e dos intestinos, o que interfere na digestão adequada. Esses sintomas podem ainda ser seguidos por queimação e dores abdominais.

3 - Perda de consciência ou desmaios

Sentir tontura ou até perder a consciência é comum entre pacientes cardíacos. Situações que diminuem o fluxo sanguíneo para o cérebro poderão trazer leve ou moderada alteração de consciência e até síncope ou desmaios. Doenças da válvula aórtica, com efetivo estreitamento do orifício, levam ao aparecimento desses sintomas, principalmente durante um momento de estresse ou esforço físico.
Arritmias cardíacas também são responsáveis em desencadear a perda de consciência ou desmaios. A mais frequente delas é a fibrilação atrial, mas as taquicardias, principalmente as ventriculares, são muito graves e podem ter como consequência até uma parada cardíaca. A redução nos batimentos cardíacos por medicamentos e principalmente por bloqueio do sistema de condução é outro fator que pode desencadear tonturas e até síncope.

4 - Dor no maxilar e no pescoço

Esses sintomas muitas vezes não são valorizados pelas pessoas e trazem um risco bastante grave ao coração, uma fez que estão relacionados a doença coronária com obstrução das artérias e podem inclusive evoluir para um infarto do miocárdio.

5 - Inchaço de pés e pernas

O sapatos que antes serviam agora apertam ou não servem mais? O inchaço de pés e pernas ocorrem por diversas razões, incluindo até mesmo o calor em excesso. Mas, quando constantes, podem ser indicadores também de problemas graves, como a insuficiência cardíaca. Trata-se de uma condição em que o músculo do coração fica enfraquecido e não consegue bombear a quantidade de sangue que o corpo necessita para suprir suas necessidades, o que acaba gerando a retenção de líquido.

Assim, quando o coração perde a força e não bombeia o sangue como deveria, o líquido dos vasos sanguíneos é filtrado nos tecidos circundantes, e pernas e pés são as regiões que costumam ser as mais afetadas por conta da gravidade. Geralmente, em casos de insuficiência cardíaca o inchaço dessas regiões vem acompanhado de falta de ar forte ao realizar atividades físicas ou ao tentar dormir.

6 - Fazer mais xixi do que o normal durante a noite

A nictúria, nome dado a esse hábito de urinar à noite, pode ser causada por diabetes ou insuficiência cardíaca. No caso do diabetes, isso se deve a alterações nas taxas de açúcar no sangue. Já a insuficiência cardíaca faz com que o indivíduo retenha mais fluídos, já que a circulação não funciona direito, e esse líquido precisa ser eliminado pela urina.

7 - Tosse noturna

Se o coração não estiver trabalhando direito, quando deitamos para dormir, pode haver um aumento do retorno de sangue para os pulmões, o que resulta na congestão pulmonar e estimula a tosse. Isso ocorre devido ao mau funcionamento da válvula mitral ou uma deficiência no bombeamento do sangue pelo ventrículo esquerdo, que pode ocasionar o acúmulo de líquidos nos alvéolos e brônquios e por consequência uma insuficiência respiratória, que se inicia com respiração mais intensa e o aparecimento de tosse.

8 - Sangramento, ferida ou inchaço nas gengivas

Nem todo mundo sabe, mas problemas na gengiva ou machucados na boca, se não tratados adequadamente, podem ter como consequência problemas no coração. Quando acontecem de forma crônica, há a possibilidade da inflamação de artérias do corpo, principalmente as coronárias. A obstrução dessas artérias do coração desencadeiam a doença coronária.

9 - Suor frio ou sudorese intensa

Para portadores de diabetes esses sintomas podem ser mais familiares, principalmente para aqueles que utilizam a insulina para controlar a hiperglicemia e que acabam desenvolvendo quadros de hipoglicemia (distúrbio provocado pela baixa concentração de glicose no sangue). Mas o suor frio e a sudorese intensa também são sinais que aparecem no corpo em casos de infarto agudo do miocárdio.

10 - Frios constantes nas mãos e pés

No caso de insuficiência cardíaca, o corpo acaba priorizando o direcionamento do sangue quente para o cérebro e outros órgãos vitais, assim extremidades como mãos e pernas acabam sofrendo as consequências.
Em portadores de hipertensão arterial isso pode ocorrer pela diminuição da circulação do sangue nas mãos e pés por mecanismos de vasoconstrição. Apesar de não ser tão frequente, quando constante, é recomendada uma consulta com um cardiologista para avaliação da pressão arterial e o precoce diagnóstico e tratamento.

11. Ganho de peso injustificado

Pessoas portadoras de cardiopatias graves, como a insuficiência cardíaca, apresentam, como já dito, retenção líquida, umas vez que nesses casos o coração não consegue manter o bombeamento de sangue adequado. Essa deficiência do músculo cardíaco dificulta a chegada normal do volume de sangue a ser filtrado pelos rins, causando o acúmulo de líquidos no corpo e, consequentemente o ganho de peso.

Sinta seu corpo e dê a devida atenção aos sinais do seu coração

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta as doenças cardiovasculares como a principal causa de morte no mundo. Seu levantamento mais recente, realizado em 2015, revela que naquele ano o total de mortes por problemas no coração ultrapassou 17 milhões de pessoas. De acordo com a plataforma Cardiômetro, da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), no país mais de 289 mil pessoas já morreram em decorrência dessas patologias em 2019.

Por isso, que hoje, 29 de setembro, dia em que se comemora o Dia Mundial do Coração é oportuno e extremamente relevante novamente alertar sobre a prevenção e os cuidados com esse que é um dos órgãos mais importantes do nosso corpo.

Lembre-se: um estilo de vida saudável, com exercícios físicos regulares e alimentação equilibrada, o controle do estresse e acompanhamento de fatores de risco, como hereditariedade e doenças crônicas (entre elas a obesidade e o tabagismo), além da devida atenção aos sinais e sintomas são fundamentais para sua saúde cardiovascular.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL