Conteúdo publicado há 1 mês

Justiça mantém prisão de homem que matou e arrancou órgãos de esposa em SP

A Justiça converteu em preventiva a prisão em flagrante de Marcelo Nistarda Antoniassi, detido ontem por matar e arrancar os órgãos da esposa.

O que aconteceu

A determinação da prisão preventiva ocorreu em audiência de custódia ontem. A confirmação foi dada ao UOL pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

O UOL busca a defesa do suspeito. Ele confessou o crime, cometido na segunda-feira (26) em Tupã (SP), à PM, mas não há informações sobre se ele falou em juízo, já que o caso corre em segredo de Justiça.

Relembre o caso

Milena Dantas Bereta Nistarda foi morta horas após registrar um boletim de ocorrência contra o marido, Marcelo Nistarda Antoniassi. O caso foi registrado na segunda-feira (26) em Tupã (SP).

Segundo familiares da vítima, Marcelo invadiu a casa da mulher derrubando o portão dela com um carro. Então, ele esfaqueou a vítima e retirou os órgãos dela.

Ao ser abordado por policiais, Marcelo confessou o assassinato e pediu para ser morto. Ele foi preso em flagrante e encaminhado à Justiça.

O casal estava junto havia 29 anos e teve um filho. Milena tinha outra filha, de um casamento anterior. Ela já havia manifestado o desejo de se separar após sofrer violência doméstica, estupro e cárcere, informou familiares ao UOL.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Continua após a publicidade

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes