Conteúdo publicado há 1 mês

Homem mata e arranca órgãos de mulher horas após ela registrar BO

Um homem matou a mulher, arrancou os órgãos dela e confessou o crime ao ser preso pela polícia, nesta segunda-feira (26), em Tupã (SP). Ela havia registrado queixa contra ele horas antes.

O que aconteceu

Após ser coagida, Milena Dantas Bereta Nistarda, de 53 anos, decidiu registrar um boletim de ocorrência na manhã de ontem contra o marido, Marcelo Nistarda Antoniassi, de 49 anos. Ela não quis a medida protetiva, segundo informou a delegada Milena Davoli Nabas de Melo, do 3º Distrito Policial de Tupã. Já a Secretaria de Segurança Pública diz que ela solicitou a proteção.

A mulher voltou para casa após registrar o boletim de ocorrência, mas o companheiro foi atrás, derrubou o portão com o carro. Ele também arrombou a porta da cozinha e, na sequência, a porta do quarto onde ela estava trancada sozinha. Foi quando o homem esfaqueou e retirou os órgãos da vítima, conforme apurou o UOL com um dos familiares.

O casal já vinha se desentendendo. Ontem, pela manhã, ela procurou a delegacia, registrou o boletim de ocorrência, mas não quis a medida protetiva e não quis se abrigar em outro local mais seguro. Ela desejou ir embora para a própria residência. Logo em seguida, ele foi lá e arrombou a casa e a matou. Milena Davoli Nabas de Melo, delegada do 3º Distrito Policial, em entrevista ao UOL, por telefone

Uma denúncia foi feita e Antoniassi foi preso pelos policiais. No momento da abordagem, quando ainda estava com a faca nas mãos, pediu para que os agentes o matassem porque ele já havia matado a esposa.

Ele [o suspeito] estava com a faca nas mãos e pedia para que os policiais atirassem nele, porque já havia matado a vítima, mas os agentes negociaram com por alguns minutos para que ele se rendesse e jogasse a faca. O homem acabou atendendo a ordem e foi rendido. Agora ele passará por uma audiência de custódia por volta das 13h, onde o juiz vai determinar se ele permanece preso ou se aguarda o julgamento em liberdade. Se a prisão em flagrante for convertida em preventiva, ele seguirá para a secretaria de administração penitenciária. Milena Davoli Nabas de Melo, delegada do 3º Distrito Policial, em entrevista ao UOL, por telefone

A delegada titular é prima da vítima e foi uma das primeiras pessoas a chegar ao local. Ela atuará no caso como testemunha, e não como delegada.

Milena Dantas e Marcelo Antoniassi estavam casados havia 29 anos e tinham um filho (a menina era filha dela de outro casamento). A mulher já havia demonstrado o desejo de se separar dele, após episódios de violência doméstica, estupro e cárcere, conforme relatou um dos familiares ao UOL. Antoniassi murchava o pneu do carro da vítima para que não saísse de casa e tinha colocado até mesmo rastreador no celular dela.

Em nota enviada ao UOL, a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) disse que o homem foi preso por feminicídio.

Continua após a publicidade

Um homem de 49 anos foi preso em flagrante por feminicídio, na tarde de segunda-feira (26), no bairro Vila Abarca, em Tupã. Segundo boletim de ocorrência, a vítima havia solicitado uma medida protetiva contra o autor, horas antes. O homem invadiu a residência e desferiu golpes de facas contra a mulher, que morreu no local. Ele tentou fugir, mas foi preso. O caso foi registrado na Delegacia de Tupã e o autor permaneceu à disposição da Justiça.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes