PUBLICIDADE

Topo

Política

Democratas criticam cobertura machista sobre candidatas a vice nos EUA

Lideranças democratas criticam tratamento da imprensa dado a mulheres na corrida eleitoral nos EUA - Getty Images/Tetra images RF
Lideranças democratas criticam tratamento da imprensa dado a mulheres na corrida eleitoral nos EUA Imagem: Getty Images/Tetra images RF

De Universa, em São Paulo

11/08/2020 11h02

A cobertura feita por veículos de comunicação nos Estados Unidos sobre as concorrentes ao posto de vice na chapa de Joe Biden à Presidência da República tem sido alvo de críticas por parte de lideranças femininas no partido.

De acordo com o site da CNN norte-americana, elas demandam que as redações ajam melhor nesse quesito e desviem do curso machista que vêm tomando.

Em uma carta aberta aos principais executivos de jornais e redes de TV, o grupo de democratas diz que as redações não deveriam apenas dar atenção aos estereótipos problemáticos sobre mulheres serem consideradas para o cargo, mas "trabalharem ativamente para serem antirracistas e antissexistas em sua cobertura".

Joe Biden, que foi vice de Barack Obama e é o pré-candidato democrata na corrida para a Casa Branca — as eleições serão realizadas em novembro —, afirmou publicamente que em breve vai escolher sua companheira de chapa.

"Vimos tantas coisas decepcionantes", disse Hilary Rosen, estrategista democrata envolvida no grupo. "Uma zombaria sobre as ambições de Kamala Harris (senadora), como se todo político que concorre à presidência não fosse ambicioso", ela afirmou.

A carta pede às redações que melhorem sua cobertura sobre mulheres na política assim como, após a morte de George Floyd, puderam reavaliar seu trabalho sobre questões raciais e suas próprias questões internas com o racismo sistêmico.

"O tempo e a experiência fizeram com que vocês, as pessoas mais poderosas da mídia, parassem e pensassem sobre seu papel na perpetuação da desigualdade e na oportunidade que tiveram de promover igualdade e a simples justiça com suas reportagens."

"O que estamos dizendo é: vocês devem ter esse mesmo tipo de pensamento na cobertura sobre uma mulher", afirma Rosen.

"Qualquer coisa menos do que o engajamento total nesta supervisão cuidadosa seria um grande retrocesso no progresso que vocês se comprometeram a fazer para expandir a diversidade de pensamento e oportunidade em suas redações e em sua cobertura", diz a carta.

Política