Topo

Bombeiro pede namorada em casamento durante mergulho em lago de Palmas

Aliny Gama

Colaboração para Universa, em Maceió

05/11/2019 19h45

O guarda-vidas do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, cabo Charlles Martins Pereira, 30, aproveitou o final do Curso de Mergulho Autônomo em Segurança Pública que fez em Palmas para pedir em casamento a namorada, Andreya de Fátima Bueno, 38. O pedido aconteceu submerso nas águas do lago de Palmas, no dia 25 de setembro, embaixo da ponte Fernando Henrique Cardoso, que possui uma estrutura utilizada para treinamentos.

Andreya é tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Tocantins e participou da finalização do curso de mergulho a convite da turma para fazer supostas imagens institucionais. Entretanto, a presença dela foi articulada pelo noivo para que ele pudesse fazer o pedido de casamento durante o mergulho.

O casal namora há 11 meses e se conheceu na fila do aeroporto de Foz do Iguaçu (PR). Eles não sabiam que eram bombeiros e voltaram para seus estados de origem depois de participarem do Senabom (Seminário Nacional de Bombeiros 2018). Eles começaram a conversar, pegaram os números dos telefones e, desde lá, não pararam de se falar.

"Na verdade, a gente nem se viu durante o evento. A gente considera o namoro a partir de 24 de novembro de 2018 (dia da fila do aeroporto). Mas, a primeira vez que ele veio a Palmas foi em dezembro", conta a noiva, que é diretora de ensino do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins.

Ela conta que está realizando o sonho de casar e o namoro aconteceu, naturalmente, sem pedido oficial de namoro, diferente do noivado. "O pedido... não teve pedido! Um belo dia, ele me apresentou aos amigos do trabalho, via vídeo, como 'a namorada'", diz a noiva.

O casal conta que supera a distância por chamadas de vídeo e se veem todos os meses, quando um ou outro viaja por dez dias para se encontrarem. "Cada despedida é repleta de emoções", diz Pereira.

Pereira passou nove semanas em Palmas, tempo de duração do curso, e voltou ontem para o Rio de Janeiro. Ele conta que no dia 22 de maio a noiva perguntou se ele gostaria de se inscrever no curso de mergulho, que ofertava vagas para bombeiros de todo o Brasil, mas ele no início disse que não, pois é um dos cursos mais difíceis dentre os Corpos de Bombeiros do Brasil. Depois, ele decidiu que iria fazer o curso e viajou para Palmas para o curso e aproveitar para estreitar mais a convivência com a noiva.

Pereira conta que teve a ideia de noivar com a namorada num mergulho ainda no início do curso, mas somente no final do treinamento que ele pediu permissão e apoio aos instrutores e colegas participantes. O pedido de casamento ocorreu na presença do corpo de instrutores e dos nove alunos sobreviventes.

"Com a irmandade criada no curso, decidi que deveria fazer ali, junto da turma. Como a noiva também é bombeiro, seria possível mergulhar", conta o noivo. "No último dia do curso, o coordenador me pediu que fizesse umas imagens com a turma, já que sou a diretora de ensino. Eu fui imaginando que o pedido pudesse acontecer ali, embaixo da ponte, mas nunca imaginei que pudesse ser embaixo d'água. Quando eu cheguei lá, não houve o pedido fora d'água, então, eu realmente fui mergulhar para fazer as imagens institucionais", relata a noiva, em entrevista ao UOL.

O noivo disse que ficou nervoso no momento do pedido de casamento que quase "não consegui encontrar a caixinha de alianças no bolso do colete." Ao sinalizar que sim, eles colocaram as alianças e tiraram o equipamento de respiração para dar um beijo. Ao emergir, a noiva disse surpresa: "Meu Deus, vocês querem me matar!" e agradeceu a colaboração do grupo que ajudou no momento do casal.

Andreya diz que o pedido de casamento foi um momentos mais emocionantes da vida dela e que ela sonha em se casar. "Meu sonho é casar! O pedido foi maravilhoso, uma surpresa que marcou a minha vida. Mas, eu não esperava nunca que fosse acontecer assim."

Como os noivos são de estados diferentes e as famílias moram em outros estados, a cerimônia religiosa está marcada para acontecer no Rio de Janeiro, no em 22 de maio de 2020, e o casamento civil será em Goiânia (cidade natal da noiva), no dia 30 de maio.

Após o casamento, Pereira vai sair do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro para morar em Palmas com a futura mulher. Ele é formado em educação física e vai prestar concursos para o Tocantins.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Casamento