Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


Elas criaram projeto que capacita pessoas em situação de rua para o mercado

Mariana Machado e Ana Paula Rios, do projeto Da Rua Para Você - Lorena Mossa/Divulgação
Mariana Machado e Ana Paula Rios, do projeto Da Rua Para Você Imagem: Lorena Mossa/Divulgação

Marcelo Testoni

Colaboração para Universa

18/10/2019 04h00

Desemprego, conflitos familiares e alcoolismo ou uso de drogas são alguns dos principais fatores que levam pessoas à situação de rua. Apesar de ser difícil quantificar o número de pessoas que vivem essa realidade, segundo a última estimativa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), com dados de 2015, o Brasil tem cerca de 100 mil pessoas em situação de rua.

"Apesar de os homens serem maioria, 82% de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social [pasta incorporada ao Ministério da Cidadania], para as mulheres o desafio é ainda maior, já que se encontram muito mais vulneráveis só por serem mulheres", diz Mariana Machado, diretora-voluntária do Instituto LAR. "São muitos os casos de assédio físico, moral e até mesmo estupro." A ONG, no centro do Rio de Janeiro, trabalha com a recuperação da dignidade de pessoas em situação de rua por meio de um conjunto de ações e oferece moradia, doações, atendimento psicológico e jurídico, retirada de documentos, montagem de currículo e apoio a dependentes químicos.

Projeto coordenado por mulheres

Mariana afirma que, embora as mulheres sejam minoria entre as que enfrentam essa situação, faltam projetos com os quais elas possam se identificar e que as atendam com maior dedicação. Também acrescenta que, mesmo oferecendo suporte para a população de rua, em geral, considera desafiador resgatar dessas pessoas comportamentos sociais importantes para sua reentrada no mercado de trabalho, como cumprimento de acordos, metas e horários.

A fim de mudar isso, em 2018, Mariana se juntou à estudante de engenharia Ana Paula Rios. Ana já coordenava, com sua companheira, outro projeto social, o Banho da Alegria, que oferece serviços básicos de higiene e banho a quem precisa e não tem acesso. Juntas, Mariana e Ana Paula criaram o Da Rua Para Você, negócio social do Rio coordenado exclusivamente por mulheres e empenhado em devolver à ativa pessoas em situação de rua.

A iniciativa é uma oficina-escola que capacita pessoas em situação de rua e gera renda para mudar a realidade delas a partir da venda de itens personalizados por elas, como camisetas, garrafinhas, canecas, canetas e ecobags. O lucro é revertido para a autogestão do negócio, o que inclui a abertura de novas turmas, a manutenção de maquinário, a compra de materiais e lanches e demais despesas e programas do Instituto LAR, que se mantém com doações.

Desde março deste ano, o projeto capacitou 27 pessoas, entre homens e mulheres. A porta de entrada é um curso gratuito de estamparia, em que são ministradas aulas práticas de serigrafia, além de gestão financeira e noções sobre como se comportar em uma entrevista de emprego. Após a conclusão do curso, são disponibilizados materiais e horários para a utilização dos equipamentos por parte de quem deseja seguir nessa área e produzir itens para vender por conta própria.

Aqueles que se destacarem pelo comprometimento podem fazer um segundo curso, individualizado e com duração de três meses, de sublimação, outra técnica de estamparia. "Essa pessoa fica com a gente produzindo itens sob encomenda, é remunerada pelo trabalho e recebe alimentação, moradia e acesso a todas as atividades que o Instituto LAR oferece. Se tiver interesse em trabalhar sozinha, também é ajudada", diz Ana Paula.

Independentemente da escolha, Mariana garante que, após a realização dos cursos, todos os interessados são certificados e continuam a receber acompanhamento psicológico e ajuda para buscar vagas de emprego, além de participar de palestras sobre empregabilidade. "Para participar, é necessário ser atendido por algum projeto social ligado à causa e que fica responsável pela inscrição de seus assistidos. Fazemos parte de uma rede enorme que trabalha e se reúne em prol dessa população e se ajuda mutuamente."

Chance de recomeçar

Para Vânia Rosa, ex-moradora de rua, hoje ativista social no Rio e integrante respeitada de um movimento nacional de ajuda às pessoas em situação de rua, iniciativas como a de suas parceiras de causa servem para mostrar que, assim como ela, todos também podem ter uma chance de recomeçar a vida. "Fui morar nas ruas em 2009, quando me tornei alcoólatra, perdi o emprego e terminei abandonada pela minha família. Vivi por anos nessa situação, entre idas e vindas, e posso dizer que, se saí dessa, é porque existem pessoas assim, que lutam por nós e têm um olhar especial, do coração. Hoje, retribuo de graça", diz.

Embora Vânia não tenha passado pelo projeto Da Rua Para Você, histórias como a dela inspiram e fazem parte do projeto. Ana Paula conta, por exemplo, o caso de uma pessoa que acolheram das ruas, que usava drogas e havia sido diagnosticada com tuberculose. "Ficamos imaginando como seria sua situação caso não tivesse chegado até nós. Hoje, livre do vício e praticamente também da doença, está para receber as chaves de seu primeiro apartamento financiado."

Desde que se juntou à causa, em 2015, depois de se sensibilizar com o caso de um estudante que quase foi morto por tentar ajudar um morador de rua que estava sendo agredido, Mariana diz que sua visão de mundo mudou completamente. "Não existe nada menos digno do que a falta de moradia e tudo o que está associado a ela: frio, fome, preconceito, falta de higiene. O mais triste é que quanto mais tempo as pessoas passam na rua mais se acostumam a essa realidade e perdem a noção de público e privado. Nunca encaro isso com normalidade."

Transforma