PUBLICIDADE

Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


Transforma

As divas pop estão selando a paz após brigas que escandalizaram manchetes

Reprodução/Instagram/@time
Imagem: Reprodução/Instagram/@time

Gustavo Frank

Da Universa

28/02/2019 19h42

Quase todo adolescente tem uma banda ou cantor de quem é fã. Acompanha o lançamento dos álbuns, torce para a turnê vir para o Brasil, fica ansioso para cada nova publicação nas redes sociais.

Agora, especificamente, para quem convive e consome esse material no universo pop sabe como a rivalidade entre as chamadas "divas pop" sempre existiu. E ainda existe.

Montagem - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Montagem feita com Avril Lavigne e Britney Spears. A primeira representava as "rockeiras" e a segunda as "patricinhas". Mas elas precisam mesmo brigar?
Imagem: Reprodução/Twitter

Mas não é de hoje. Britney versus Avril Lavigne, Madonna versus Lady Gaga, Katy Perry versus Taylor Swift foram alguns dos nomes que protagonizaram manchetes sobre possíveis desentendimentos entre elas.

Uma rivalidade criada pela mídia que usou da sua própria invenção para garantir uma audiência a partir da rivalidade entre mulheres.

Mas um novo tempo está vindo -- e nós somos eternamente gratos por isso. E um dos principais marcos para essa mudança aconteceu no último domingo (24), quando Lady Gaga posou ao lado de Madonna em uma festa pós-Oscar, noite em que a voz de "Shallow" foi a grande estrela.

A "briga" entre elas começou lá por 2011, quando Gaga foi acusada de plágio por Madonna após o lançamento de "Born This Way".

Entre declarações de ambas as partes, incluindo o documentário biográfico de Gaga, "Five Foot Two", da Netflix, a comparação entre as duas sempre existiu. "Quem é melhor?", "quem vai ocupar o primeiro lugar na Billboard?", "qual das duas vai sobreviver mais tempo na mídia?" e por aí vai.

Na última terça-feira (26), Madonna deu um basta nisso e compartilhou a foto ao lado da colega: "Não mexa com garotas italianas", escreveu ela, se referindo à origem da família de ambas.

Ou seja: para um bom entendedor, meia palavra basta. Parem de mexer com elas.

Nessa semana, outra notícia reacendeu ainda mais essa discussão. Isso porque os fãs da cantora Taylor Swift, ansiosos pelo sétimo álbum da artista, passaram a especular uma parceria entre ela e sua "arqui-inimiga", Katy Perry.

Para quem não se lembra, por muitos anos, Taylor e Katy foram colocadas como inimigas pela mídia. Rumores indicavam que as cantoras teriam brigado por dançarinos em suas turnês. Uma teria "roubado" os profissionais da outra. Isso sem contar os "ex-namorados" que ambas compartilharam -- quem nunca?

Teve indireta com "Bad Blood", teve "Swish Swish", briga dos fãs para provar qual dos álbuns, "1989" e "Witness", era o melhor. Tudo isso até chegar a uma troca de presentes carinhosos entre elas, compartilhado por Taylor em suas redes sociais.

Aparentemente, elas se reconciliaram e talvez até uma parceria entre as duas chegue ainda nesse ano.

Dessa forma, a paz no mundo pop está sendo selada. E uma prova disso, no mercado atual, está nas mãos de Miley Cyrus e Ariana Grande.

Transforma