PUBLICIDADE

Topo

Sexo

O melhor orgasmo da vida: 5 mulheres contam o que fazem para gozar

Trocar ideias sobre o orgasmo ajuda a chegar lá - iStock
Trocar ideias sobre o orgasmo ajuda a chegar lá Imagem: iStock

Elisa Duarte

Colaboração para Universa

14/12/2018 04h00

A satisfação sexual da mulher ainda está longe de ser a ideal. Segundo a pesquisa do Projeto Sexualidade (ProSex) - USP, divulgada em 2016, 55,6% das mulheres tem dificuldade para chegar ao orgasmo. Entre as várias causas apontadas, 67% respondeu que tem dificuldade para se excitar e 59,7% sente dor na relação.

Enquanto isso, 40% das entrevistadas disse não se masturbar.  "A gente vive numa sociedade machista, que não quer que a mulher goze. Mulheres que gozam são mulheres revolucionárias. Precisamos falar de prazer! Tem gente que transa muito, mas não sente prazer porque o sexo focado só na penetração não beneficia em nada o prazer feminino. Imagina: se a gente tivesse muitas em terminações nervosas na vagina, não conseguiria parir. O nosso prazer maior está na vulva e no clitóris", afirma Mariana Stock, terapeuta sexual e fundadora da Casa Prazerela.

Segundo a terapeuta orgástica Márcia Giácomo, é muito importante que a mulher conheça a anatomia da vulva e da vagina. "A consciência corporal destas áreas também contribui para acessar gozos mais profundos", afirma Marcia. veja o que algumas delas fazem para ter prazer.

"Fiquei naquele estado de mulher selvagem"

"Vou contar o melhor orgasmo da minha vida. Para mim, é fundamental que eu esteja excitada. O meu marido é terapeuta sexual. Eu sou mais estudiosa e fico até tarde trabalhando. Um dia, eram 2h da manhã, eu estava gravidíssima e ele disse que queria fazer uma massagem no meu pé. Quem resiste a um convite desses? Cheguei no quarto, tinha um cheirinho de lavanda, ele começou a fazer a massagem e fiquei muito relaxada. Eu estava num ambiente de segurança, tranquilo, o que também é importante. Ele começou a massagear o meu clitóris e gozei umas 3 vezes. Eu já estava naquele estado de mulher selvagem, quando você se desliga do mundo externo e ele me penetrou ao mesmo tempo que estimulava o meu ânus com o dedo. Eu ainda peguei um vibrador e coloquei no meu clitóris. Aí eu tive o maior orgasmo da minha vida, chamado de orgasmo cervical, quando o nervo vago, que vai do cérebro até o abdome, é estimulado." 

Mariana Stock, 34 anos, terapeuta sexual 

"Adoro ficar por cima no sexo"

"Ter um orgasmo não é bom, é delicioso! Quando tenho vontade (o que é bem frequente...), gosto de assistir vídeos que me façam lembrar das transas mais gostosas e marcantes que já tive! Também não dispenso meus brinquedinhos sexuais. Quando quero gozar, me jogo nas minhas fantasias. Curto muito o tradicional papai-mamãe, mas adoro ficar por cima com uma pegada mais forte, olhando para meu parceiro. Adoro me masturbar quando estou por cima dele, o orgasmo é ainda mais intenso e gostoso!"

*Maria Paula, 39 anos, personal trainer

"Toco cada partezinha do meu corpo"

"Nos meus momentos íntimos, sozinha, gosto de criar uma atmosfera gostosa com música, luz baixa, aromas e tocar meu corpo todo tanto suavemente quanto com óleos e toques mais intensos. Vou me curtindo, permitindo e me conectando com meu prazer. Ao tocar minha vulva gosto de experimentar cada partezinha com movimentos leves e também mais vigorosos e percebendo como meu corpo gosta mais naquele momento. Gosto de perceber minha lubrificação acontecendo e experimento contrair e relaxar minha vagina sentindo as ondas de prazer. Isso ajuda bastante a intensificar meu tesão. Neste momento estimulo meu clitóris, às vezes somente com as mãos, em movimentos ritmados e junto com movimentos circulares de quadril e também com a contração da vagina e isso me leva a ter orgasmos deliciosos. 
Uma coisa importante é estar conectada com o momento e com o corpo, deixando as preocupações e as expectativas com relação ao tipo de orgasmo que virá. Preparar o corpo com toques antes me leva a expandir o prazer da área genital para o corpo. Tem vezes em que utilizo vibradores externos que trazem um estímulo mais intenso e uma outra gama de sensações orgásticas. Percebo que os orgasmos com diferentes estímulos (com as mãos, com vibradores ou numa relação) não são uns melhores que outros. Tudo vai da conexão, da entrega ao prazer e de como o corpo está para o momento".

Márcia Giácomo, 34 anos, terapeuta orgástica.

"Aprendi a gozar tomando sol"

"Tudo começou durante um verão na minha adolescência. Sempre adorei tomar sol, e na laje ninguém podia me ver! Quando não tinha ninguém em casa, aproveitava para fazer topless. Naquele calorão, bronzeador, suor... comecei a me tocar e percebi que estava molhada. Daí comecei a fazer uns movimentos de vai e vem por cima do clitóris e na entrada da vagina... até descobrir o quanto era gostoso. Chegar ao orgasmo foi um pulo! Que descoberta! Agora, quando quero um estimulo diferente, uso um vibrador e entendi que a minha melhor posição para esse momento é de barriga para cima. Às vezes, quando me toco com as mãos, prefiro de bruços."

*Camila, pedagoga, 40

"Orgasmo bom exige concentração"

"Para mim, o orgasmo depende muito da minha cabeça e da intimidade com a pessoa. Tento não ficar nos pensamentos em 'tem que' ou imaginando o que o outro está pensando. Tento ficar só no que está acontecendo no momento, mas é difícil para mim! Exige certa concentração! E se tenho intimidade com o outro, aí fica muito mais fácil de ficar no momento e não nos pensamentos. Atingir o orgasmo com sexo oral é mais fácil, sem dúvida! E se for com penetração, prefiro encaixada de frente. 

*Milena, Farmacêutica, 40 anos


*As entrevistadas tiverem seus nomes alterados.

Sexo