Topo
OPINIÃO

Aos 21, Klara Castanho dá aula de maturidade para Dias, Baldi e Fontenelle

só para assinantes
Nina Lemos

Colunista do UOL

27/06/2022 11h06

O que adultos fazem diante de uma tragédia daquelas mais horríveis, e que, ao mesmo tempo, nos obrigam a tomar decisões rápidas? Eles refletem. Buscam soluções. Pensam antes de falar e procuram apoio, seja da família, seja de especialistas como advogados, médicos, etc. Isso foi o que a atriz Klara Castanho, de apenas 21 anos, fez diante de uma tragédia que muitos de nós, que temos idade para sermos seus pais, trememos só de imaginar a possibilidade de acontecer com a gente.

Os jornalistas Léo Dias e Matheus Baldi e a youtuber Antonia Fontenelle, responsáveis pelo vazamento do caso, que fizeram com que Klara, novamente super madura, escrevesse uma carta aberta contando tudo o que passou e suas decisões, têm idade para ser pais da atriz. Mas tiveram longe de ter maturidade, ética e seriedade (coisas que Klara esbanja).

Depois de ser vítima de um estupro e descobrir que estava grávida, uma tragédia sem fim, ela se resguardou. Buscou apoio da família. Procurou um advogado. E, munida de informação, procurou a alternativa que seria menos terrível para ela (se é que dá para amenizar essa dor) e também a melhor para o futuro da criança.

Ela entendeu a lei e soube que existe no Brasil a possibilidade de fazer uma "entrega direta" para adoção. Ela fez tudo de acordo com a lei. O que significa que foi ouvida por especialistas que atestaram a seriedade de seu desejo. E, também, que o bebê iria imediatamente para uma família que estivesse na fila da adoção. Isso significa que quem adotou estaria habilitado.

Ou seja, já teria passado por uma batelada de entrevistas com psicólogos e assistentes sociais que atestaram sua capacidade para exercer a parentalidade. Mais seguro, impossível.

O planejamento impecável de Klara, mesmo diante de um pesadelo, era para ser anônimo, no que ela está coberta de razão. Afinal, trata-se de uma questão íntima, doída. Só que ela não pôde cumprir esse desejo porque "adultos" resolveram se meter e, munidos de falta de ética e desinformação, expuseram a vida de Klara e espalharam absurdos.

Tudo começou com um post do jornalista Matheus Baldi no dia 24 de maio, dizendo que Klara teria dado à luz uma criança. A pedido da própria atriz, esse post foi apagado, mas a notícia se espalhou. Uma enfermeira vazou o caso para jornalistas. E, por conta disso (imagino que a enfermeira também seja "adulta"), a vida de Klara virou um pesadelo ainda maior (se bem que isso é possível).

Léo Dias foi informado do caso e disse para a atriz que não contaria nada. Mas, em entrevista a Danilo Gentili, ao ser perguntado sobre alguma história que não podia contar, disse que era um caso de uma atriz e que se tratava de "uma maldade". "O carma vai ser grande", "a conta vai chegar", ele disse, ameaçando? A vítima!

Semana passada, Antônia Fontenelle gravou um vídeo absurdo, onde fala, sem citar o nome de Klara, que uma atriz de 20 anos da Globo teria dado o seu bebê. "Trata-se de uma atriz de 21 anos da Globo, essa menina engravidou, escondeu a gravidez? ela mandou dar o filho, disse "tire, não quero nem ver". Ela conta no vídeo que a menina dizia ser vítima de estupro. Ou seja, ela falou tudo isso sabendo do fato. Ou, vai ver, duvidou da vítima, o que é bem possível.

Adoção não é "pegar para criar"

No vídeo, Fontenelle se oferece também para "cuidar do bebê ou achar alguém quem cuide". E afirma que a atriz teria praticado um crime: "abandono de incapaz".

Não, gente, Klara, adulta, consciente, fez tudo dentro da lei. Léo Dias e Antonia parecem não entender nada sobre legislação de adoção, e nem se informaram a respeito antes de falar absurdos.

Adoção de bebê não funciona você "dando a criança para criar". Ou se oferecendo para "pegar". Essa é uma prática antiga, na maioria das vezes ilegal e condenada por todos os especialistas. Adultos deviam saber o básico da lei brasileira, não? Ainda mais quando eles são comunicadores, jornalistas.

Com a repercussão péssima de suas atitudes, Léo, Matheus e Antonia estão tentando se justificar. Eu sei que é pedir demais, mas eles podiam também olhar para as atitudes de Klara e ver se aprendem um pouco a se comportar como adultos éticos e conscientes.

Os dias têm sido péssimos para nós, mulheres, com uma notícia horrível atrás da outra. Como, por exemplo, caso da menina de 11 anos que engravidou de um estupro e foi humilhada por uma juíza e afastada de sua mãe. E, agora, sofremos vendo todo o sofrimento de Klara e a maneira como ela foi tratada por quem a devia proteger, médicos, enfermeiros, jornalistas.

No meio desse horror, ver a atitude de Klara é inspirador. Mesmo passando por esse pesadelo, ela ainda teve tempo para agradecer as suas amigas, como a apresentadora e atriz Maísa que postou uma foto com a amiga e disse: "Amor que transborda. Sorte a nossa e azar de quem desconhece tal sentimento. Para o que der e vier "

As duas pertencem a uma geração de meninas que é consciente, conhece seus direitos e é extremamente madura. São essas meninas que podem, como diria Caetano: "nos salvar dessas trevas e nada mais."

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aos 21, Klara Castanho dá aula de maturidade para Dias, Baldi e Fontenelle - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL