PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Morango

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Trisal de mulheres revela intimidade do relacionamento e cita desvantagem

Thalita Ebert, Caroline e Helena - Acervo pessoal/Instagram
Thalita Ebert, Caroline e Helena Imagem: Acervo pessoal/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Angélica Martins Marques

Ana Angélica Martins Marques

https://universa.uol.com.br/colunas/morango

Ana Angélica Martins Marques, a Morango, é mineira de Uberlândia, jornalista, fotógrafa e DJ. É também autora do livro de contos Quebrando o Aquário. Passou pela décima edição do Big Brother Brasil e só foi eliminada porque transformou o temido quarto branco no maior cabaré que você respeita. É vegetariana e cuida de três filhos felinos: Lua, Dylan e Mike.

Colunista de Universa

15/09/2021 04h00

Casadas, as empresárias Helena, 41, e Caroline, 29, já estavam juntas há sete anos quando decidiram formar uma nova configuração afetiva, um trisal.

"A gente já tinha aberto o relacionamento, já tinha ficado com outras pessoas, mas de forma muito superficial. A Thalita era nossa amiga e, numa brincadeira, conversamos sobre isso. Ficamos, começamos a namorar, e estamos juntas há quase um ano. No começo foi um pouco complexo, porque é uma relação diferente, mas aos poucos a gente foi se ajustando. É como se você iniciasse uma relação nova porque tem mais uma pessoa envolvida", conta Helena.

Vantagens e desvantagens

Para Caroline, o melhor da vida a três é a partilha de sentimentos e sonhos com duas pessoas, em vez de apenas uma. "Você consegue amar duas pessoas ao mesmo tempo e é um amor diferente de uma para a outra. É muito legal conviver e traçar planos juntas. O ônus é a tensão pré-menstrual! Com três mulheres, cada mês é um 'flash'!", diverte-se, sobre os eventos caóticos de cada período.

Em fevereiro, elas decidiram compartilhar a rotina do trisal no Instagram, e em sete meses conquistaram a atenção e o carinho de mais de 4.000 seguidores.

"A gente não abriu pra ter sucesso com isso, não abriu com nenhuma pretensão. A gente só queria mostrar o nosso dia a dia, mas não tinha noção do crescimento exponencial que ia ter. A cada postagem são 200, 300 novos seguidores. A gente só queria mostrar o que é um trisal e como é a nossa rotina. A gente não é ET por ser um trisal —porque é assim que as pessoas que têm algum tipo de preconceito nos enxergam", revela a cantora Thalita Ebert, de 32 anos.

No Instagram, de um jeito descomplicado, elas respondem os fãs mesmo quando o tópico é extremamente íntimo. Os seguidores já perguntaram, por exemplo, se o sexo sempre acontece a três ou se também rola apenas entre duas.

"O sexo pode acontecer entre as três ou entre duas, não importa. Isso é bem resolvido entre nós"

Apesar de povoarem mentes e corações, as dúvidas picantes não são as que mais chegam a Helena, Caroline e Thalita. O que as pessoas mais desejam saber é:

"Como falar com o parceiro ou parceira sobre o desejo de abrir a relação?"

"A gente sempre aconselha a ter um diálogo franco com o parceiro ou parceira e falar dessa vontade. Isso é importante pra começar certo e não precisar haver uma traição. Tudo pode ser conversado e esclarecido antes", propõe Caroline.

Lésbicas, elas afirmam nunca terem sofrido preconceito nas redes. "O que acontece muito é perguntarem se podem entrar no trisal. As pessoas acham que é aberto, e não é. A gente tem uma relação super fechada. E alguns homens às vezes dão umas cantadinhas de mau gosto... Mas preconceito, não."

"As namoradas da mamãe"

Única mãe entre as três, Thalita revela que explicar sobre a relação para o filho, que tem 12 anos, foi mais simples do que ela tinha imaginado.

"Meu filho é um menino cabeça aberta com tudo, a ponto de me surpreender. Quando eu falei, fiquei morrendo de medo, achei que ele ia fazer um monte de perguntas. E foi engraçado porque quando eu contei ele falou: 'Mãe, você está feliz? Então isso que importa', e saiu andando. Foi super tranquilo. Ele chama a Lê e a Helena de 'tia'. Tia Helena e tia Lê são namoradas da mamãe e ele não tem vergonha nenhuma de falar isso, inclusive sai falando pra todo mundo, é um boca aberta, viu?", contou, entre risos.