PUBLICIDADE

Topo

Fabi Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Sim, você tem direito ao reino da maquiagem mesmo que não seja uma fanática

Campanha da Haus Lab, marca de beleza da Lady Gaga - Reprodução/Instagram @hauslab
Campanha da Haus Lab, marca de beleza da Lady Gaga Imagem: Reprodução/Instagram @hauslab
Fabiana Gomes

Fabi Gomes é maquiadora e bonne vivante ? gosta de das coisas boas da vida, como artes, literatura, sexo, cinema, culinária, viagens. Está sempre atenta ao poder transformador e aos rumos da beleza.

Colunista do UOL

07/06/2021 04h00

Quem são as mulheres maduras? A partir de que idade você se torna oficialmente madura? O que é ser madura? Tem alguma coisa a ver com características da pele ou o modo como você se comporta?

Falando da aparência da pele, quando a gente coloca a questão assim de modo tão simplista, supõe-se que, por exemplo: a partir de determinada idade, todas as mulheres terão as mesmas particularidades e condições de pele. Certo? A gente anula o modo de vida, hábitos, genética e ambiente onde vivem essas pessoas?

"Ai, Fabi, para de ser radical, querida. Que chatinha... Você sabe muito bem que, após os vinte e cinco anos, a gente vai reduzindo a produção de colágeno e ácido hialurônico, dois campeões quando se trata de garantir aquele aspecto firme e radiante das peles jovens". É, tô ligada.

Tá bem, mas meu ponto aqui, para além dessa classificação ontológica, é tentar entender as caixas onde as pessoas são metidas e suas razões.

Para variar, já dei uma pirada, mas é que eu tava pensando em mim e nas minas que me cercam, de idades próximas a minha - 46 anos. Nessa fase, normalmente a vida está a todo vapor. Gastar horas em rotinas complicadas nem sempre é uma opção (muito menos uma vontade). De modo que queria mesmo era trocar essa ideia sobre se a gente precisa ser beauty addict pra poder usar maquiagem ou skincare.

É necessário ser louca por maquiagem e cremes para entrar nesse universo? Você precisa chorar ao ver um lançamento de sombra, de batom?

Olha, trabalho com isso há 20 anos e, juro, me custa entender tanta comoção... Claro que tem produtos que piro o cabeção, embalagens sensacionais e colaborações icônicas, daquelas que fazem a gente nem querer usar o produto, apenas guardar a embalagem e usar como arte decorativa mesmo. Agora, esse negócio de ficar louca e comovida com cada movimento da indústria... Nunca tive. Nunca tive, nem nunca entendi muito essa forte emoção nos outros.

Sempre tentei disfarçar meu espanto. Achava que pegava mal, pensava assim: "Putz, Fabiana, o que vão pensar de você? Que você não ama maquiagem? E agora?"

Bem, amar desse modo idólatra, não amo mesmo, não. Engraçado que, trabalhando na área, é normal que as pessoas queiram te ver com barba, cabelo e bigode tocados por maquiagem. Certamente decepcionei muita gente nesse sentido. Tem sempre a expectativa por aquela montação caprichada e demorada, pele ultra construída, contorno, cílios postiços e profusão de sombras.

Dá para amar maquiagem de maneira descomplicada também. Eu mesma mudo muito pouco meu estilo ao longo dos dias

Trabalho basicamente com pele, corretivo, blushezinho disfarçado de rubor, sobrancelhas organizadas e uma importante boca vermelha, bem presente e provocativa.

Tenho curtido muito fazer meu delineado tripinha também. O nome não é elegante, mas ele é. Aquele tracinho feito no terço exterior da pálpebra superior. Uma sugestão de direção para olhos, com desejos de acomodação. Como assim? Não digo que minha pálpebra está caindo, ela está se acomodando. E o tracinho diz pra ela: avante, querida, hoje vamos amendoar, hoje vamos para cima.

Viciados em beleza sempre querem mais. Mais produtos, mais técnicas, mais tempo para executá-las. E tá tudo bem. Cada um na sua. Eu sempre penso em dinamizar, otimizar, deixar mais simples. Esse é meu jeito de amar maquiagem e cuidados com a pele

Mas parece rolar uma lacuna, um déficit importante nos conteúdos relacionados ao tema, né? Quase não se vê opções simples e descomplicadas, que ofereçam uma abordagem mais utilitária do assunto. A sensação é de que quase tudo disponível já parte do capítulo 3, até nas nomenclaturas e orientações. Para quem é leigo total no assunto, certamente o sentimento é de um belo abandono. Você se sente assim? Qual é seu jeito de amar o universo da beleza?

Pensando nisso, Universa e eu decidimos produzir uma série de vídeos curtos e simples sobre os elementos principais da maquiagem. Tudo bem objetivo e detalhadinho. As famosas pílulas, meu amor. Uma coisa de cada vez e bem explicadinha. Quer fazer a maquiagem ser parte da sua vida de modo natural e descomplicado, sem grandes malabarismos e ritmo alucinado? Fique ligade aqui! Aliás, já podem enviar sugestões de temas, por aqui ou pelo Instagram, que vamos amar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL