Topo

Poeira "alienígena" na Antártida pode explicar formação do Sistema Solar

Um simples grão de poeira pode ajudar cientistas na missão - Karin de Mamiel/IStock
Um simples grão de poeira pode ajudar cientistas na missão Imagem: Karin de Mamiel/IStock

Luiza Ferraz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/04/2019 12h56

Um grão de poeira "alienígena" preso em um meteorito encontrado na Antártica pode ajudar cientistas na missão de decifrar a formação do Sistema Solar.

A amostra da poeira é fruto de uma explosão cósmica - chamada Nova -- em uma estrela, que, neste caso, aconteceu antes mesmo da existência do Sol. Desta maneira, o grão viajou por todo o universo até entrar em nossa galáxia.

Nomeado LAP-149, o material é o único do tipo que sobreviveu com rastros de alguns minerais importantes como grafite e silicato. Além disso, também foi encontrada grande quantidade de um raro tipo de carbono, conhecido como 13C.

"Os resultados nos mostraram que grãos ricos em carbono e oxigênio foram essenciais na construção do nosso sistema", afirmou Pierre Haenecour, autor do estudo, segundo o portal Independent.

"Também sabemos que poeiras [de carbono e silicato] podem ser formadas em uma mesma Nova [explosão em uma estrela] e transportadas através de pedaços de poeira quimicamente distintos", completou o cientista.

Esse tipo fenômeno é importante, pois a dispersão desses elementos químicos pode ajudar a formar outros sistemas. Se não fosse isso, não haveria vida - um mero complexo de novas substâncias que se colidiram.

Os cientistas não conseguiram afirmar, ao certo, a idade da poeira "alienígena". Mas estão em busca de grãos maiores para que consigam fazer cálculos mais precisos e descobrir mais informações que possam estar relacionadas a formação do nosso sistema solar.

Mais Astronomia