PUBLICIDADE
Topo

Água sanitária com açúcar limpa mofo da roupa? Ciência explica 'truque'

Água sanitária com açúcar pode tirar a mancha, mas mistura fragiliza o tecido - Getty Images
Água sanitária com açúcar pode tirar a mancha, mas mistura fragiliza o tecido Imagem: Getty Images

Cristiane Capuchinho

Colaboração para Tilt

27/03/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Água sanitária é um poderoso oxidante que ajuda a quebrar a estrutura de fungos em manchas de roupa
  • Na mistura, o açúcar funciona como agente redutor e dilui a ação da água sanitária
  • O "truque" pode funcionar para tirar as manchas, mas não é garantia que não manche roupas coloridas
  • Pesquisadores lembram que a água sanitária fragiliza as fibras do tecido, e não recomendam o uso da mistura

Um litro de água sanitária, uma xícara de açúcar e a mancha de mofo sai da roupa depois de alguns minutos de molho. É este "milagre" que prometem diversos vídeos e perfis que dão dicas para cuidados da casa pela internet. E mais, alguns dizem que a mistura não mancha roupas coloridas.

Tilt conversou com especialistas em química para entender como isso acontece. E descobriu que eles não recomendam seu uso.

A água sanitária é o nome popular do hipoclorito de sódio (NAClO), um oxidante muito conhecido por sua ação contra bactérias (por isso que usamos na limpeza do banheiro) e seu efeito alvejante (deixando os panos de chão branquinhos).

Como oxidante, a água sanitária ataca elementos que têm ligação dupla em sua estrutura, como os fungos. "O fungo mais comum (aspergilus flavus) tem regiões de sua estrutura com esse tipo de ligação e a água sanitária funcionaria para reduzir as manchas", explica o professor de química teórica Antonio Carlos Pavão, pesquisador da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco).

E o açúcar? O açúcar serviria para diluir a água sanitária. "Ele reduz a ação da água sanitária, deixando menos concentrado", esclarece o professor Luís Geraldo Cardoso dos Santos, do departamento de Engenharia Química e de Alimentos do Instituto Mauá de Tecnologia.

Neste caso, a ação do açúcar seria parecida com a da água na hora de diluir o hipoclorito de sódio. Aqui começa todo o problema. Para proteger o corante, como dizem, a mistura "teria que conter um excesso de açúcar de modo a anular toda a ação oxidante do hipoclorito, o que no final protegeria tanto o corante como o próprio mofo", afirma Pavão. Por outro lado, com açúcar de menos, resta água sanitária na mistura que atacaria tanto o mofo quanto o corante da roupa. "Entretanto, o poder oxidante da mistura estaria atenuado, o que talvez possa causar uma impressão de que o corante não foi atacado."

A mistura parece que "ferve" porque na reação química entre a água sanitária e o açúcar há liberação de gás tóxico, que criam as bolhas no líquido do molho. Pavão chama a atenção para o risco do gás emitido, que é também liberado quando se mistura água sanitária com vinagre. "A mistura é tóxica."

Mancha a roupa?

Mais diluído do que a água sanitária pura, o composto com açúcar pode não manchar um tecido com cores, mas isso depende da concentração e também do tipo de pigmento que tem nas cores do tecido. A diluição (com água ou com açúcar) não garante que o procedimento não deixará marcas brancas na peça de roupa.

"A água sanitária pode atacar a estrutura de alguns dos pigmentos da roupa e dissolvê-los, mas a ação depende da composição do pigmento. Há alguns que são mais sensíveis e reagem mais facilmente com a água sanitária", explica o professor do Instituto Mauá de Tecnologia.

Para saber se o pigmento da roupa vai manchar ou não, o jeito é fazer um teste em um pedaço pequeno e escondido do tecido com um pouco de água sanitária diluída em água. Se depois de alguns minutos ficar manchado, o tecido contém pigmento frágil à ação da água sanitária.

Além das possíveis manchas, o uso da água sanitária neste caso oferece outros problemas. Pavão lembra que o agente oxidante fragiliza as fibras do tecido, o que pode acabar estragando a roupa, e que a reação de hipoclorito com açúcar libera gases tóxicos. "Eu não recomendo", alerta o pesquisador da UFPE.

Santos diz que o "truque" pode até dar certo, mas recomenda o uso preferencial de água, sabão para roupas e sol ou de algum produto industrialmente testado. "As receitas caseiras podem funcionar, mas, em geral, não são mais eficientes do que os produtos industrializados. Os produtos foram testados e desenvolvidos para dar as melhores respostas aos diferentes tipos de sujeira sem causar manchas ou desgastes na roupa."

Varal - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Regras básicas para tirar as manchas

Para qualquer mancha no tecido, os pesquisadores aconselham um plano de ataque progressivo:

  1. Água: o solvente universal. "A água mesmo que não tire todo o mofo já vai remover alguma coisa, sem causar desgaste ao tecido", diz Pavão.
  2. Água com sabão para roupas. A água ataca os elementos polares, o sabão ataca elementos polares e alguns apolares.
  3. Usar água quente: o calor agiliza as reações químicas e torna mais eficiente a limpeza. "É o mesmo processo usado em máquinas de lavar, mas tem que checar se a roupa pode ser exposta a temperaturas mais altas", comenta o pesquisador do Instituto Mauá.
  4. Colocar a roupa de molho com água e sabão no sol. Os raios ultravioletas do sol quebram algumas ligações químicas de certos pigmentos que podem fazer parte da mancha. No entanto, esses mesmos raios podem causar novas manchas conforme a fragilidade do tecido. A resposta se o tecido pode ou não ser exposto ao Sol deve estar na etiqueta da roupa
  5. Removedores industrializados de manchas