Topo

Bebês aprendem a calcular e a reagir aos movimentos ainda no útero

Do UOL, em São Paulo

08/10/2013 06h00

Bebês aprendem a calcular movimentos e a entender as consequências desses atos ainda no útero materno, aponta pesquisa das universidades de Durham e Lancaster, na Inglaterra, que usou escâneres de tecnologia 4D. A descoberta foi publicada nesta terça-feira (8) no periódico Developmental Psychobiology

Por meio da tecnologia, os cientistas constataram, pela primeira vez, que os fetos são capazes de executar ações coordenadas, como abrir a boca ao levar a mão até a cabeça, prevendo as consequências de seus movimentos.

Saber disso pode enriquecer o que se sabe sobre bebês, em especial dos nascidos prematuramente, suas habilidades de interagir socialmente e a capacidade de acalmarem a si mesmos ao chupar o dedo, afirma o grupo.

"O aumento no número de gestos mirando a boca em fetos pode ser um indicador do desenvolvimento cerebral necessário para um crescimento saudável, incluindo o preparo para o contato social, o ato de acalmar a si mesmo e a alimentação", diz Nadja Reissland, pesquisadora do departamento de psicologia de Durham.

Para chegar à descoberta, os cientistas fizeram, mês a mês, 60 escaneamentos em 15 fetos, todos com tempo de gestação entre 24 a 36 semanas. Dos fetos analisados, oito eram do sexo feminino e sete, do sexo masculino.

O estudo nota que fetos em estágios menos avançados de gestação costumam tocar mais áreas superiores e laterais de suas cabeças, ao passo que fetos em estágios mais avançados de gestação tendem a tocar áreas mais sensíveis de seus rostos, como a boca.

Na 36ª semana de gestação, perto do nascimento, uma considerável parte dos fetos analisados já abrem a boca ao levar a mão a ela, sugerindo que neste estágio já estão aptos a antecipar a necessidade de abrir a boca para receber a mão, e não apenas reagindo ao toque como se pensava antes do estudo.

O estudo dá sequência a outra pesquisa realizada pelas duas universidades e divulgada no fim do ano passado. Nela, os pesquisadores descobriram que fetos já realizam expressões faciais e até bocejam no útero, no que pode ser uma preparação para a comunicação após o nascimento. 

Mais Tilt