Topo

TV falhando na novela ou no jogo? Clima espacial pode ser culpado

Do UOL, em São Paulo

18/09/2013 15h43

Da próxima vez em que a programação da sua TV passar por problemas na transmissão, pense, antes de xingar a emissora do programa, que o culpado pode estar no espaço. Segundo estudo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, que foi divulgado no periódico científico Space Weather nesta terça-feira (17), o clima espacial afeta o sinal de satélites.

O clima espacial é diretamente afetado por atividades ocorridas na superfície do Sol. Assim, basta que o principal astro de nosso Sistema Solar sofra uma erupção para que partículas carregadas de energia sejam disparadas rumo à Terra e afetem satélites localizados em sua órbita, produzindo falhas em transmissões de TV, por exemplo.

Os satélites da órbita terrestre guardam equipamentos eletrônicos altamente sensíveis. Esse conteúdo fica protegido por uma cobertura especialmente criada para resistir à radiação solar por, em média, 15 anos.

Contudo, por vezes, essa cobertura pode acabar ficando gasta com o tempo - deixando o satélite vulnerável às intempéries do Sol. O estudo do MIT buscou entender em que tipo de situação climática espacial essas falhas tornam-se mais possíveis de ocorrer.

Para isso, o time de pesquisadores analisou 26 falhas ocorridas ao longo de 16 anos em oito dos satélites geoestacionários localizados na órbita terrestre, relacionando-as ao clima espacial que vigorava no momento dos incidentes.

A relação apontou que a maioria dessas falhas ocorreu em momentos de declínio do ciclo solar, épocas marcadas por grande atividade do astro e liberação de elétrons altamente energéticos, como a que passamos atualmente.

Os cientistas acreditam que esse fluxo de partículas disparadas pelo Sol tenha se acumulado nos satélites ao longo dos anos, danificando a cobertura que protege seus equipamentos e, consequentemente, seu interior.

Tecnologia melhor e mais atual

Segundo autores do estudo, entender o que causa problemas aos satélites abre espaço para que tecnologias mais eficiente e adequadas ao que se espera dos satélites atualmente sejam empregadas.

"Entendendo como o ambiente afeta esses equipamentos, podemos criar satélites mais resistentes que, por sua vez, serão melhores não apenas em custo mas também em performance", afirma, na divulgação do estudo, a pesquisadora Whitney Lohmeyer.

"Usuários de TV cada vez mais exigem capacidade maior dos satélites. Eles querem transmissão de dados por streaming, por exemplo, e se comunicar de forma mais ágil e com taxa de transferência de dados mais alta. Por isso, a forma como satélites são desenhados está mudando - e, junto a isso, despontam suscetividades do clima espacial e uma radiação que não existia até então, mas que virou um problema", diz Whitney, alertando que falhas ocorridas devido ao clima espacial podem atingir ainda serviços de internet e telecomunicações.

Mais Tilt