PUBLICIDADE
Topo

Estátua de rei turco de 3.000 anos demonstra criatividade da Idade do Ferro

The New York Times

17/08/2012 18h48

Arqueólogos descobriram a estátua gigante de um rei turco que remonta a 3.000 anos.

Com uma parte quebrada, a escultura da cabeça e do torso do rei tem quase 1,5 metros de altura e, completa, pode ter medido mais de 3 metros, afirmou Timothy P. Harrison, arqueólogo da Universidade de Toronto e membro da equipe que fez a descoberta.

A peça demonstra que a criatividade e a capacidade intelectual floresceram na Idade do Ferro, ainda que as cidades e os reinos fossem pequenos e independentes – diferentemente do sistema centralizado da Idade do Bronze.

"Isso se opõe a nossa percepção de que foram os grandes impérios que produziram criatividade", afirmou Harrison.

Os arqueólogos estão escavando onde no passado ficava uma cidade neo-hitita. As esculturas são de dentro de um complexo de passagens que fornecia acesso à cidadela central de Kunulua, capital do pequeno reino chamado Patina, entre 1.000 e 738 a.C.

A escultura de detalhes intrincados representa o rei Suppiluliuma, que reinou no século 9 a.C. Atrás da estátua, afirmou Harrison, há uma declaração autobiográfica escrita na língua luvita em hieróglifos.

Na inscrição, o rei discorre sobre como expandiu com sucesso as fronteiras do reino e erigiu um monumento em homenagem a seu pai.

Harrison afirmou que a estatua foi provavelmente danificada e queimada durante a invasão assíria no reinado de Suppiluliuma, em 858 a.C. Ele afirma que espera que, com o tempo, toda a estátua seja reconstituída.