Topo

Virgin Galactic apresenta nova sede e anuncia próximos testes

15/08/2019 21h01

Washington, 16 Ago 2019 (AFP) - A empresa de turismo espacial Virgin Galactic apresentou nesta quinta-feira (15) sua nova sede, no estado americano de Novo México, e divulgou o calendário de seus próximos voos de teste, aproximando-se um pouco mais de suas primeiras viagens comerciais.

A sala de controle da Virgin Galactic foi instalada na base "Spaceport America", propriedade do Novo México. Esta base foi "aberta" oficialmente em 2011 pelo bilionário britânico Richard Branson, que fundou a empresa em 2004.

Depois de anos de desenvolvimento, incluindo um atraso devido a um acidente fatal em 2014, a Virgin Galactic criou uma nave espacial e cruzou a fronteira duas vezes, mas nunca com clientes pagantes, embora 600 pessoas - entre elas estrelas de Hollywood - tenham se inscrito no programa.

O diretor-geral, George Whitesides, espera que os primeiros voos ocorram "no ano que vem", declarou à AFP.

Nesta quinta, a Virgin Galactic apresentou a seus convidados dois andares da "Spaceport America" que foram "dedicados principalmente às operações de voo". O complexo também inclui "espaços comuns criados para que, no futuro, sejam utilizados pelos clientes da Virgin Galactic, por seus amigos e suas famílias", explicou a empresa em um comunicado.

Isso "significa que agora a base é funcional e pode satisfazer as demandas de voos oferecidos pela Virgin Galactic".

No mês passado, a companhia anunciou que arrecadará centenas de milhões de dólares para enviar seus primeiros clientes ao espaço dentro de um ano.

A Virgin Galactic oferecerá alguns minutos de microgravidade a seis passageiros ao mesmo tempo, que flutuarão dentro da cabine e poderão observar a curvatura da Terra através de grandes janelas, sob um céu negro.

O piloto principal da Virgin, o escocês Dave Mackay, escreveu em um blog que o VMS Eve, o avião de transporte da Virgin, havia chegado à base e que as novas fases de testes começariam em breve.

O VMS Eve voltará ainda este ano à Califórnia para "os testes finais".

Mais Ciência