Topo

Suíços descobrem novo tipo de estrelas com luminosidade variável

Em Paris

12/06/2013 10h34

Estrelas de um novo tipo, cuja luminosidade é mutável e se diferencia das "variáveis ou pulsantes", foram descobertas por uma equipe suíça de astrônomos do Observatório de La Silla, Chile, revela nesta quarta-feira (12) um artigo da revista Astronomy and Astrophysics.

A descoberta se baseia na medição regular de mais de 3.000 estrelas situadas no agrupamento galático NGC 3766 ao longo de sete anos.

A descoberta foi feita por uma equipe de astrônomos de Genebra, que trabalhou com o telescópio suíço Euler, instalado no Observatório de La Silla, que pertence ao Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês).

Nesse agrupamento galático, a equipe de Nami Mowlavi descobriu um grupo de 36 estrelas que apresentam "ínfimas variações de sua luminosidade, da ordem de 0,1% do brilho normal das estrelas", indicou o ESO em comunicado. A periodicidade dessas variações está entre duas e vinte horas.

Esse novo tipo de estrelas, que ainda não receberam um novo, são levemente mais quentes e brilhantes que o Sol, indicou a nota do Observatório.

"A existência desta nova classe de estrelas variáveis constitui um desafio para os astrofísicos", explicou Sophie Saesen, uma das integrantes da equipe de pesquisa. "Os modelos teóricos atuais não preveem que a luz varie periodicamente e nosso esforço consiste, por isso, em conhecer melhor o comportamento desse novo tipo de estrela", acrescentou.

A origem das variações é desconhecida, mas os astrônomos observaram que algumas parecem ter uma rotação rápida, superior a sua "velocidade crítica", limite a partir do qual as estrelas se tornam instáveis e ejetam matéria ao espaço.

"Nestas condições, a rotação rápida terá um impacto importante em suas propriedade internas", afirmou Nami Mowlavi.

O estudo das variações de luminosidade das estrelas variáveis ou pulsantes criaram um novo ramo da astrofísica, a asterosismologia (astrosismologia ou sismologia estelar).

Mais Tilt