PUBLICIDADE
Topo

Astronautas controlam vazamento de amônia no espaço

Em Washington

11/05/2013 17h33

Os astronautas norte-americanos Tom Marshburn e Chris Cassidy concluíram neste sábado (12) uma caminhada espacial de emergência para susbstituir uma bomba do sistema de alimentação da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) e conter um vazamento de amônia, segundo a TV da Nasa.

O conserto, que teve início às 12h44 GMT, foi concluído uma hora antes do previsto, às 18h14 GMT, cinco horas e meia depois que os engenheiros aeroespaciais deixaram a estação.

A operação consistiu, entre outras coisas, na instalação de "uma bomba de substituição", segundo a TV da Nasa. Também foi trocado um dispositivo de controle de fluxo, considerado o responsável pelo vazamento, detectado na parte da estação pertencente aos Estados Unidos.

Posteriormente, os astronautas acionaram a bomba e observaram, por 30 minutos, se o vazamento continuaria, sob a supervisão da missão que controla o dispositivo.

Os astronautas esperaram o Sol secar os traços de amônia em suas roupas antes de retornarem à estação.

O comandante da ISS, Chris Hadfield, que supervisionou a caminhada espacial, publicou em sua conta no Twitter: "Não há vazamento. Conseguimos superar o grande obstáculo de controlar a fuga de amônia."

A agência alertou que terá que acompanhar o funcionamento da bomba por mais tempo, antes de determinar se a sua substituição conseguiu conter o vazamento.

Segundo especialistas, a caminhada de hoje não tem precedentes, uma vez que foi preparada com muita rapidez.

Acredita-se que um meteorito ou fragmento de lixo espacial possa ter atingido o radiador de refrigeração, causando o vazamento.

A amônia é usada para refrigerar os circuitos por onde passa a eletricidade produzida pelos painéis solares.

Imagens divulgadas pela equipe confirmaram que o vazamento teve origem nos sistemas de refrigeração, que já haviam apresentado problemas, em novembro passado.

A Nasa anunciou que a tripulação da ISS, composta de seis pessoas, detectou, na última quinta-feira, um vazamento de amônia procedente de um dos sistemas de refrigeração, assinalando que o mesmo não representava uma ameaça aos astronautas ou à estação.

Mas o diretor de voo do segmento russo da ISS, Vladimir Soloviev, considerou que se tratava de "uma irregularidade muito grave".

Antes de anunciar que a saída ao espaço ocorreria hoje, Chris Hadfield também reconheceu que se tratava de "uma situação grave".

De acordo com a Nasa, na última quinta-feira, a tripulação da ISS alertou o centro de controle da estação, situado em Houston, EUA, para a presença de "pequenos flocos brancos flutuando ao redor da estação".