Topo

Cientistas descobrem evidências de um antigo lago em Marte

Em Washington

21/01/2013 10h04

Uma nave espacial que orbita Marte encontrou evidências da existência de um antigo lago alimentado por águas subterrâneas em uma cratera de 92 quilômetros de diâmetro, o que reforça as teorias de que o planeta vermelho pode ter abrigado vida, informou a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana).

Informações obtidas pelo espectrômetro da Nasa, o Mars Reconnaissance Orbiter (MRO, na sigla em inglês), mostram vestígios de carbonato e minerais de argila, geralmente formados na presença de água, na parte inferior da cratera McLaughlin, a 2,2 quilômetros de profundidade.

"Estas novas observações sugerem a formação de carbonatos e argila em um lago alimentado por águas subterrâneas na bacia fechada da cratera", informa a Nasa na edição on-line da revista Nature Geoscience.

"Algumas pesquisas propõem que o interior da cratera captura água", disse a agência e acrescentou que "na zona subterrânea poderia ter havido ambientes úmidos e potenciais habitat".

"A cratera precisa de canais de grande afluência, por isso, o lago era provavelmente alimentado por águas subterrâneas", disseram os cientistas.

Mais Tilt