PUBLICIDADE
Topo

Um robô pode me dar um cabelo perfeito? Testei xampus desenvolvidos por IA

iStock
Imagem: iStock

Letícia Naísa

De Tilt, em São Paulo

02/01/2022 04h00

Os algoritmos tomaram conta de tudo. São eles que indicam o que vamos ler, ouvir, assistir e até comprar. Com o aumento do tempo de telas, aumentou também o meu consumismo durante a pandemia. Caí nas graças de um aspirador robô e de uma air fryer, e minha prateleira do banheiro se encheu de cremes, gelatinas e leave-ins, máscaras de hidratação, nutrição e reconstrução capilar.

Além dos produtos de beleza, casa e cozinha convencionais, o algoritmo da rede social sugeriu um anúncio que me intrigou: produtos de cabelo escolhidos por inteligência artificial. Fiquei pensativa: seria um robô capaz de me proporcionar a experiência de um cabelo perfeito?

No rolar do feed e nas buscas pelo Google, encontrei duas marcas presentes no Brasil que dizem usar algoritmos para formular produtos de beleza capilar, a JustForYou e a MeuQ. Ambas prometem produtos personalizados e fórmulas únicas para o seu cabelo, mas é claro que isso tem um preço — salgado, diga-se de passagem.

O kit completo da JustForYou com xampu, condicionador, leave-in e máscara personalizados sai por R$ 123,62 (com desconto). Já o da MeuQ com xampu, condicionador e leave-in, R$ 187.

Como funcionam

Dizer que um produto usa inteligência artificial para ser feito parece uma baita jogada de marketing. Foi isso, afinal, o que chamou a minha atenção. O processo de confecção da JustForYou e da MeuQ, no entanto, de fato usa algoritmos para determinar a fórmula dos produtos, segundo seus criadores. As empresas são chamadas de "beauty techs" — ou seja, se baseiam em uso de tecnologia para criar produtos de beleza.

"A gente faz coleta de dados do começo ao fim do processo", afirma Beatriz Zogaib, co-fundadora da JustForYou, em entrevista a Tilt. Além das respostas sobre o tipo de cabelo e estilo de vida da cliente, a empresa coleta informações sobre localização e o clima de onde a compra está sendo feita.

Depois da experiência, são coletados os feedbacks, perguntas enviadas por email ou feitas nas redes sociais a clientes, que também alimentam a base de dados da marca.

Kit da JustForYou - Divulgação - Divulgação
Kit da JustForYou
Imagem: Divulgação

A empresa foi fundada há dois anos e os algoritmos levaram nove meses para serem desenvolvidos. Na unha, a equipe da JustForYou fez análise de mais 5.000 fórmulas para alimentar a IA, que recebeu o nome de Jul.IA e já criou mais de 1,6 milhões de fórmulas de produtos de cabelo.

"Hoje, nós temos quase 2 milhões de dados que alimentam a nossa base", diz Rafael Temer, chefe de tecnologia da marca. Existe um algoritmo especializado para cada produto do kit: o do xampu tem como objetivo criar uma fórmula para limpeza; o do condicionador, selar as cutículas do cabelo; e assim por diante.

A JustForYou afirma que faz uso apenas de produtos naturais. São 100 ativos que podem ser combinados entre si em diferentes concentrações para criar uma fórmula exclusiva.

A MeuQ surgiu mais ou menos na mesma época, entre 2018 e 2019, fundada pelo publicitário Pedro Nunes, filho de profissionais de beleza, que resolveu investir em personalização no Brasil depois de ver que o setor estava bombando nos EUA.

Produtos da MeuQ - Divulgação - Divulgação
MeuQ
Imagem: Divulgação

O princípio de funcionamento da inteligência artificial da MeuQ é o mesmo da concorrente: coleta de dados por meio de um questionário sobre o tipo de cabelo, nível de oleosidade e processos químicos nos fios, além de personalização de cor, nome e fragrância dos produtos. Com as informações, consegue indicar a mistura ideal dos produtos.

Na MeuQ também são milhares de combinações possíveis de serem feitas. Hoje, a marca trabalha com 40 ingredientes que podem ser combinados, todos de origem natural e veganos, segundo Nunes. Em uma semana, são criadas cerca de 80 fórmulas sob demanda.

Mas o algoritmo ainda está sendo trabalhado para melhorar ainda mais a experiência.

"Na versão 2.0 terão mais fatores, como treino, nível de estresse e tipo de alimentação. São coisas que influenciam o cabelo, como geolocalização e idade também", diz Nunes.

Apesar de 70% do processo de confecção ser automatizado, a receita final dos produtos da MeuQ são validadas por um especialista humano.

Para saciar a curiosidade, resolvi experimentar as duas marcas, por duas semanas cada, e descobrir qual milagre um robô poderia fazer no meu couro cabeludo.

Testando os produtos

Antes de falar sobre a minha experiência, é importante frisar que, durante a peste dos últimos dois anos, passei por uma nova puberdade capilar. Sempre acreditei que meu cabelo fosse liso. Trancada em casa por meses e deixando os fios secarem naturalmente, descobri que meus fios são ondulados.

Foram-se ralo abaixo os produtos para cabelos lisos, e o secador, que garantia os fios retos, ganhou um espaço no fundo do armário.

Por isso, ao preencher os formulários das marcas de produtos personalizados, marquei com a maior certeza: cabelos ondulados.

São 16 perguntas no site da JustForYou que vão além do tipo ou comprimento de cabelo e frequência de lavagem. A marca quer saber que tipo de dieta a cliente segue, o quanto ela se sente estressada, o que ela espera do produto capilar e qual a intensidade da fragrância ela quer no seu produto.

Ao final, é entregue uma lista de ingredientes ideais para aquele tipo de cabelo, como extrato de acerola, de gengibre e proteína de trigo, que fazem parte da minha fórmula.

No questionário da MeuQ, a primeira pergunta é a mesma da JustForYou: qual o seu tipo de cabelo? Depois, é possível escolher entre produtos com sulfato e sem sulfato, um produto químico que auxilia na limpeza e ajuda a fazer espuma. No meu caso, há anos deixei de optar pelo aditivo, preferindo produtos mais naturais. E assim foi com a MeuQ.

Ao contrário da JustForYou, o questionário da MeuQ se resume apenas a 12 perguntas, que focam na estrutura capilar. É possível escolher o tipo de fragrância e a cor de cada produto. Nas duas marcas também pude dar um nome à minha linha. Na brincadeira, chamei os produtos de Robopoo, uma mistura de robô e shampoo, da palavra em inglês.

Na rotina, usei o xampu, o condicionador e o leave-in, amassando bem as pontas para dar volume e formato. Um dos efeitos mais aparentes dos produtos de inteligência artificial foi no volume. Ambas as marcas deixaram meu cabelo mais "murcho" do que de costume.

A JustForYou conseguiu deixar minhas curvas capilares mais definidas do que a MeuQ. Ou seja, meu cabelo ficou muito mais ondulado com os produtos da primeira marca.

À direita, cabelo depois de duas semanas com JustForYou, à esquerda, mesmo período usando MeuQ - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
À direita, cabelo depois de duas semanas com JustForYou, à esquerda, mesmo período usando MeuQ
Imagem: Arquivo pessoal

Foi curiosa também a sensação de hidratação. Num primeiro momento, parece que nenhuma das opções limpa direito os fios. A impressão é de que o cabelo fica "ressecado" embaixo d'água quando se passa o xampu, que faz bem menos espuma do que um outro convencional.

Quanto aos condicionadores, ao contrário dos comuns, os personalizados não pesam nos fios na hora do banho.

No momento, parece que os produtos não vão funcionar. Só que, com o tempo, vi que é questão de costume, porque a sensação de cabelo limpo dura muito mais do que usando produtos de fórmulas prontas.

No dia a dia, isso me surpreendeu. Normalmente, depois de dois dias sem lavar, minha cabeça já pedia socorro. Com os novos produtos, pude ficar tranquilamente três ou quatro dias sem esfregar o couro cabeludo. A mesma sensação eu tive com as duas marcas.

Vale a pena?

No fim das contas, consegui trocar de cinco a seis produtos de rotina capilar por apenas três das marcas personalizadas. Os 15 minutos perdidos na frente do espelho amassando as pontas do cabelo viraram apenas dois, já que pós-banho eu usei apenas um leave-in.

Mesmo assim, senti falta de um tratamento mais intenso com as máscaras de hidratação, nutrição e reconstrução.

Só a máscara da JustForYou não segurou tão bem o meu cabelo quanto um cronograma capilar com mais etapas. No aspecto visual, achei que meu cabelo parecia ressecado, principalmente com o uso da MeuQ, o que seria resolvido com outras máscaras.

Mas também senti que o tempo de duas semanas foi suficiente para o meu cabelo se adaptar aos novos produtos — menos do que isso pode causar decepção. Se você tem grana (e curiosidade), talvez valha o teste, já que os produtos rendem bastante e facilitam a rotina.