PUBLICIDADE
Topo

iPhone 13 e Galaxy S21: qual celular top de linha vale mais a pena?

iPhone 13 (esq.) x Galaxy S21 (dir.) - Tilt
iPhone 13 (esq.) x Galaxy S21 (dir.) Imagem: Tilt

Lucas Santana

Colaboração para Tilt

30/11/2021 04h00Atualizada em 01/12/2021 20h38

Samsung e Apple vêm disputando há mais de uma década o posto de fabricante com o melhor smartphone topo de linha. Em 2021, a Apple destaca a linha iPhone 13 (com quatro celulares lançada em setembro). Meses antes, a Samsung animou seus fãs com a família Galaxy S21, apresentada ao mundo em janeiro deste ano (com três versões).

Tilt decidiu então comparar as versões "puras" (sem outras nomenclaturas no nome) dos dois modelos: o iPhone 13 e o Galaxy S21. Qual celular merece reinar como o melhor top de linha entre os dois? A disputa é acirrada. Confira a análise a seguir a partir das configurações técnicas dos dois e algumas percepções a partir de testes.

  • iPhone 13: 146,7 mm x 71,5 mm x 7,65 mm e 173 gramas
  • Galaxy S21: 151,7 x 71,2 x 7.9 mm e 169 gramas

O design do smartphone da Samsung mudou um pouco em relação ao modelo do ano anterior, com bordas mais retilíneas do que seu irmão mais velho, o que facilita a pegada e evita os cliques acidentais.

Outra mudança substancial está na traseira, que agora é feita de um plástico fosco, diferentemente da versão anterior que vinha em vidro. Novamente, a mudança tende a dar mais segurança para quem carrega o aparelho. Diante de quedas acidentais, você não vai triturar a traseira com tanta facilidade.

O módulo das câmeras ocupa um pouco mais de espaço do que a versão anterior. O S21 vem ainda com leitor de impressões digitais maior integrado à tela e certificação IP68 de resistência à água, a melhor da atualidade.

Seguindo uma tendência comum nesse mercado, o S21 não tem slot para memória expansível e nem entrada P2 para fones de ouvido.

Já iPhone 13 não traz tantas novidades. A versão atual é quase idêntica ao iPhone 12, que voltou a ter laterais mais planas, que dão mais firmeza na hora de segurá-lo.

Por outro lado, esse design mais quadradão deixa o aparelho um pouco maior que o normal. A mudança mesmo de design fica no entalhe, 20% menor, e no conjunto de câmeras, que ficou maior para acomodar novos sensores e lentes.

O restante repete o que já vimos no passado: carregamento sem fio pelo padrão Qi, suporte aos acessórios por ímã MagSafe e proteção máxima contra água e poeira (certificação IP68).

Ainda não há suporte para cartão de memória, a gaveta de chips só tem espaço para um SIM card de operadora e a porta Lightning é a única entrada possível tanto para o carregador quanto para os fones de ouvido.

Veredito: empate. A escolha vai muito mais do seu gosto para celulares.

  • iPhone 13: Super Retina XDR (Oled), 6,1 polegadas (15,5 cm), 1.170 x 2.532 pixels
  • Galaxy S21: Super Amoled, 6,2 polegadas (15,7 cm), 1.080 x 2.400 pixels

A disputa no quesito tela é boa. Um ponto a se destacar é a taxa de atualização de 120 Hz presente no S21, que deixa imagens em movimento com maior fluidez (quanto maior o número, melhor) não é a mais avançada que a Samsung já fez, mas merece destaque pela ótima qualidade e por ficar acima da média dos principais smartphones do mercado na mesma categoria.

O iPhone 13 tem um excelente display Oled e uma tela um pouco maior. Contudo, a taxa de atualização é de 90 hertz, abaixo do da Samsung.

Se você curte jogar games com o smartphone, essa configuração pode fazer diferença. Caso contrário, a tela do celular da Apple ainda é excelente.

Veredito: Galaxy S21 pela maior taxa de atualização.

  • iPhone 13: 3.240 mAh
  • Galaxy S21: 4.000 mAh

O iPhone não é conhecido por ter a melhor bateria do mercado em termos de longevidade. Contudo, o novo modelo não deixa muito a desejar no comparativo com o S21.

Em média, o aparelho aguenta um dia e meio, quase dois dias de uso se você for econômico com o celular. Com uso mais intenso, ele aguenta bem entre 7 e 8 horas de tela ligada até precisar recarregar, segundo testes feitos por Tilt.

O concorrente da Apple só não perde pontos nessa categoria porque a bateria do Galaxy S21 dá conta de um dia intenso de uso, precisando ser carregado durante a noite.

Aliás, Apple e Samsung deram as mãos na hora de manter de fora da caixa os adaptadores para a recarga de bateria. Essa decisão é parte de uma controversa política de fabricantes de celulares para reduzir a quantidade de lixo eletrônico.

Seja como for, um carregador do iPhone 13 não sai por menos de R$ 199. Já o Galaxy S21 tem opções que vão de R$ 89 a R$ 233.

Veredito: Por muito pouco, o iPhone 13 leva essa por durar mais.

  • iPhone 13: câmera frontal de 12 MP, câmera dupla traseira de 12 MP (grande-angular) e 12 MP (ultra-wide)
  • Galaxy S21: câmera frontal de 10 MP, câmera tripla traseira de 12 MP (Ultra Wide), 64 MP (Wide) e 12 PM (Teleobjetiva)

O Galaxy S21 vem com três câmeras traseiras. A lente teleobjetiva permite zoom híbrido de 3x. No iPhone 13, temos duas câmeras traseiras.

O conjunto do S21 entrega a qualidade esperada de um smartphone topo de linha, com imagens com bom nível de detalhe e cores vibrantes.

A câmera grande angular (que amplia o campo de visão) produz fotografias com alta resolução, detalhadas e com pouco ruído. Ainda, claro, com as pequenas distorções nos cantos, comum nessas lentes.

A lente teleobjetiva está longe de ser perfeita, mas alcança boas distâncias sem perder a qualidade e ainda permite o modo macro, para fotos detalhadas de objetos muito pequenos sem perder o foco.

No iPhone 13, o novo conjunto de câmera, com sensores maiores, também entrega excelentes imagens, tunadas pelo processador A15 Bionic, proprietário da Apple.

O contraste é profundo, as cores são bem saturadas sem perder o realismo, segundo pudemos testar, o que vale também para os vídeos, inclusive em gravações 4K.

Destaca-se aqui um tal Modo Cinemátográfico, em que o consumidor pode brincar com o foco das imagens durante a gravação, dando uma cara de cinema aos vídeos do celular. Ele não é perfeito e precisa melhorar, mas oferece ao consumidor opções para explorar a produção de vídeos.

O aparelho não possui modo macro para fotografar objetos em detalhe sem perder foco, o que é uma pena.

Veredito: o iPhone 13 leva a melhor por pouco. De qualquer forma, os dois entregarão ótimas fotos.

  • iPhone 13: processador A15 Bionic (128 GB, 256 GB ou 512 GB de armazenamento) com 4 GB de RAM
  • Galaxy S21: processador Exynos 2100 (Octa-Core de 64 bits, 5 nm, 2,8 GHz + 2,4 GHz + 1,8 GHz), 128 GB ou 256 GB de armazenamento com 8 GB de RAM

Em termos de desempenho, é impossível não elogiar a performance do chip A15 Bionic que integra o iPhone 13. O smartphone simplesmente voa.

Além do processador avançado, o sistema operacional iOS é otimizado para funcionar sobre a arquitetura do A15, o que é um fator determinante para o desempenho acima da média do iPhone, mesmo com apenas 4 GB de memória RAM.

O Galaxy S21 não possui um chip feito especificamente para ele, mas o processador Exynos 2100 não deixa a desejar ao executar tarefas mais complexas.

Nos testes da Tilt, o conjunto processador e 8 GB de memória RAM do S21 não travou nem engasgou em nenhum momento, nem mesmo em tarefas múltiplas rodando simultaneamente.

No teste com jogos pesados como "Asphalt 9" e "Free Fire", o desempenho se manteve impecável durante toda a experiência.

Veredito: empate, considerando que os dois trabalham com dois dos processadores mais avançados no momento.

  • iPhone 13: a partir de R$ 7.599 (preço oficial da Apple)

  • Galaxy S21: R$ 5.399,10 (à vista na Samsung)

O iPhone 13 é vendido no Brasil em revendedores autorizados por a partir de R$ 6.839. Já o Galaxy S21 sai bem mais em conta, encontramos por a partir de R$ 3.599. Ambos são os modelos topo de linha de suas fabricantes e, com certeza, disputam a lista de melhores smartphones comercializados atualmente.

Seus sistemas operacionais são estáveis e o conjunto de câmeras entrega ótimas imagens. Contudo, as baterias ficam na média, não são incríveis (como poderiam ser pelo preço cobrado) e nenhum dos dois representa um salto gigante de design em relação às versões anteriores.

Deixando de lado a rivalidade Android/Samsung versus iOS/Apple, o S21 ganharia por ter um preço menor. A tendência também é de que o valor dele caia ainda mais com o passar dos meses, algo que dificilmente acontece com os iPhones.

Veredito: Galaxy S21 pelos motivos descritos acima.