PUBLICIDADE
Topo

iPhone 12 x iPhone 13: vale a pena pagar mais caro para ter a novidade?

iPhone 12 Pro (esq.) x iPhone 13 Pro (dir.) - Reprodução/Tilt
iPhone 12 Pro (esq.) x iPhone 13 Pro (dir.) Imagem: Reprodução/Tilt

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt, em São Paulo

26/10/2021 04h00Atualizada em 27/10/2021 18h03

O iPhone 13 chegou ao Brasil na última sexta-feira (22) e, sempre que um novo aparelho da Apple é lançado, os fãs da marca se sentem tentados a trocar de smartphone. Mas vale a pena investir no lançamento ou aproveitar a consequente queda de preço do iPhone 12, lançado em 2020?

É o que vamos responder no comparativo de ficha técnica de hoje.

O preço, sem dúvida, é um fator importante. O iPhone 13 começa em R$ 7.599 em sua versão de 128 GB. Porém, apesar de ter tido poucas mudanças em termos de visual, o celular de 2021 da Apple ganhou novo processador, melhor bateria e novo conjunto de câmeras.

Por outro lado, a linha iPhone 12 ainda continua deixando muito celular intermediário comendo poeira. Seu desempenho ainda é muito bom.

Confira a seguir o nosso veredito para diferentes categorias:

  • iPhone 12: 146,7 mm x 71,5 mm x 7,4 mm e 164 gramas
  • iPhone 13: 146,7 mm x 71,5 mm x 7,7 mm e 174 gramas

Se você pegasse dois objetos na mão, você conseguiria sentir a diferença de 10 gramas entre eles? A não ser que você seja uma balança de precisão humana, a resposta é provavelmente: não.

Pois essa é a principal diferença entre o iPhone 12 e o 13 quando falamos de peso de dimensões. Aqui, nem vou considerar que o novo smartphone é 0,3 mm mais espesso do que o anterior — mais uma vez, é o tipo de coisa que só se saberia medindo com uma régua bastante precisa.

A construção de ambos os aparelhos é exatamente a mesma, com vidro resistente à riscos na frente (Gorilla Glass), traseira do mesmo material e corpo de alumínio. Ambos são resistentes à água, com certificação IP68.

Veredito: diante de tantas semelhanças, não há como não decretar um empate neste quesito.

  • iPhone 12: 6,1 polegadas (15,49 cm), Super Retina XDR Oled, resolução Full HD+ (2.340 x 1.080 pixels), HDR10 e 60 Hz
  • iPhone 13: 6,1 polegadas (15,49 cm), Super Retina XDR Oled, resolução Full HD+ (2.340 x 1.080 pixels), HDR10 e 60 Hz

As telas dos dois são idênticas tanto em tamanho quanto em resolução.

O que melhorou do iPhone 12 para o 13 foi o brilho máximo do visor, que foi de 625 nits para 800 nits. Isso se traduz em imagens mais nítidas, especialmente quando se está em ambientes mais claros. Já o pico de brilho quando se reproduz conteúdos multimídia em HDR continua em 1.200 nits.

Veredito: a tela do iPhone 12 já era excelente. Apesar de a do iPhone 13 ter tido uma leve melhora, não é motivo definitivo para aconselhar a compra do novo celular da Apple por isso. Logo, é um empate.

  • iPhone 12: 2.815 mAh
  • iPhone 13: 3.240 mAh

A primeira diferença mais sensível entre os dois aparelhos é na bateria. De uma geração para outra, a capacidade da bateria aumentou cerca de 15% e, claro, isso se traduz em mais horas de uso para o iPhone 13.

Segundo dados da Apple, o novo aparelho é capaz de reproduzir até 19h de conteúdo multimídia, contra 17h do iPhone 12.

Veredito: Vitória do iPhone 13.

  • iPhone 12: câmera dupla traseira (principal e ultra-angular de 12 MP) e frontal (12 MP e sensor de profundidade e biometria)
  • iPhone 13: câmera dupla traseira (principal e ultra-angular de 12 MP) e frontal (12 MP e sensor de profundidade e biometria)

Traseira

Na frieza dos números, as câmeras traseiras de iPhone 12 e 13 são idênticas. A diferença está na parte que não se vê — ao menos apenas olhando para o aparelho: a lente grande angular tem sensores com pixels de 1,7 micrômetros.

Segundo a Apple, esse é o maior sensor já colocado em um iPhone com sistema de câmera de lente dupla e é capaz de absorver até 47% mais luz do que o anterior, o que se traduz em fotos melhores e com menos ruídos em situações de pouca luz.

O "problema" aqui é que modelos anteriores, como o iPhone XR e o iPhone XS, já tinham o modo noturno da câmera, que era capaz de "fazer milagres" em situação de pouquíssima luz. Lógico que aprimoramentos são sempre bem-vindos, mas é bom deixar claro que o iPhone 12 também manda bem nesse quesito.

De novidade mesmo há os "estilos fotográficos", que dão mais liberdade ao usuário para definir o estilo de iluminação de suas fotos. Além disso, a linha 13 toda permite o uso do modo cinematográfico, capaz de capturar vídeos com desfoque de fundo na cena e foco automático que reconhece mais de uma pessoa na cena. Tudo isso com ajuda de inteligência artificial.

Veredito: apesar do iPhone 12 já ir (muito) bem em fotos, vitória para o iPhone 13.

Frontal

Aqui, zero novidades. Ambos os aparelhos têm a mesma câmera de selfie, capaz de gerar imagens de alta qualidade — inclusive com modo retrato, que borra o fundo.

A vantagem do 13 é que os amantes de gravação de vídeo poderão usar o recurso modo cinematográfico, que funciona nas lentes principais.

Veredito: iPhone 13 vence por pouco. Mas não justifica um gasto tão grande para comprá-lo se você pensar em custo-benefício.

  • iPhone 12: A14 Bionic (3,21 GHz, hexa-core), 4 GB de memória RAM; disponível com 64 GB, 128 GB e 256 GB de armazenamento
  • iPhone 13: A15 Bionic (3,22 GHz, hexa-core), 4 GB de memória RAM; disponível com 128 GB, 256 GB e 512 GB de armazenamento

Como tradicionalmente ocorre entre cada geração do iPhone, o processador do aparelho é aprimorado. E isso ocorreu entre o iPhone 12 e o 13.

O novo telefone da Apple usa o chip A15 Bionic, enquanto o antigo usa o A14 Bionic. Segundo a empresa, a novidade entrega uma dobradinha de poder superior e menor consumo de energia.

Uma forma de ter uma ideia mais exata do que isso significa são os testes de benchmark, que medem o desempenho do processador. No software Geekbench 5, o iPhone 12 marcou 3.833 pontos no teste multi-core, enquanto o iPhone 13 foi consideravelmente melhor: 4.718 pontos.

Por usarem um sistema feito para ter uma relação bem íntima com o hardware, ambos os aparelhos são extremamente rápidos na maioria das funções.

O espaço de armazenamento maior também merece destaque. Pensando no custo-benefício, 64 GB de memória hoje em dia não dá para muita coisa. Ter um celular com 128 GB pra cima fará a vida útil do aparelho durar bem mais.

Veredito: iPhone 13 vence.

  • iPhone 12 128 GB: a partir de R$ 5.199 (no varejo)
  • iPhone 13 128 GB: a partir de R$ 7.599 (preço oficial)

Esse é, provavelmente, o ponto mais discrepante entre os aparelhos. Ainda que o iPhone 12 mais barato tenha metade do espaço de armazenamento do iPhone 13 de entrada, mesmo quando pareados nesse quesito — neste caso, o iPhone 12 pode ser encontrado por R$ 5.192,55 em grandes varejistas—, quando comparamos as versões de entrada a diferença de preço fica próxima dos R$ 2.500,00.

Fosse o iPhone 13 uma revolução em relação ao seu antecessor, essa diferença até poderia ser mais justificável. Mas se você quer ter um bom aparelho da marca e não é do tipo que abre a carteira mais do que deveria só para ter um lançamento em mãos, a escolha pelo iPhone 12 — e, até mesmo, pelo iPhone 11 — acaba sendo muito mais racional.

Veredito: a economia proporcionada pelo iPhone 12 somada às similaridades dos aparelhos garantiria uma vitória do smartphone mais antigo. Porém, não dá para negar que o iPhone 13 possui algumas características (como bateria e sistemas de câmeras) que podem valer a pena se você tem dinheiro para investir mais.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.