PUBLICIDADE
Topo

Facebook muda nome para Meta e anuncia investimento em metaverso e RV

Letícia Naísa

De Tilt, em São Paulo

28/10/2021 14h19Atualizada em 29/10/2021 11h47

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (28) novidades sobre seu ambiente virtual metaverso durante o evento Facebook Connect 2021. Ao final da apresentação, o presidente-executivo Mark Zuckerberg reservou alguns minutos para a maior novidade do dia: a mudança de nome. Agora, a empresa, também dona do Instagram e do WhatsApp, vai se chamar Meta.

A rede social Facebook continua existindo com o mesmo nome, assim como o app e o endereço facebook.com. Meta será usado para identificar o grupo que administra os aplicativos de redes sociais e o serviço de mensagens.

O objetivo é mudar a imagem de plataforma de mídia social para empresa que constrói espaços de trabalho e comunidades sociais virtuais. O novo nome vem em meio a uma das mais dramáticas crises de relações públicas da empresa —na última semana, dezenas de veículos de notícias se debruçaram sobre uma série de relatórios e documentos internos vazados por ex-funcionários do Facebook e a companhia está sendo duramente pressionada por aparentemente colocar o lucro acima da proliferação de discurso de ódio, notícias falsas e negatividade entre jovens, além de ter cedido a governos autoritários para não perder espaço em mercados lucrativos.

O nome Facebook não abrange tudo o que a empresa faz, defendeu Zuckerberg. "No momento, nossa marca está intimamente ligada a um produto só. Mas, com o tempo, espero que sejamos vistos como uma empresa de metaverso."

Realidade virtual e realidade aumentada

O metaverso é um espaço 3D com vários níveis de imersão. Para os executivos da rede social, o novo ambiente digital é o futuro da internet —e ninguém vai precisar entrar no Facebook para acessar os novos produtos.

"Em vez de apenas olhar para a tela, você estará nela", afirmou Sue Young, diretora de produtos do Facebook, em encontro com jornalistas realizado ontem (27). "Já que passamos tanto tempo em frente a telas, queremos que seja um tempo de qualidade."

Entre as novidades voltadas para o metaverso, estão:

  • grande investimento na plataforma Horizon, ambiente de imersão em RV onde as pessoas entram usando um dispositivo Oculus Quest, óculos de realidade virtual, para se reunir com amigos por meio de avatares, assistir a vídeos juntos, jogar e usar outros aplicativos ao mesmo tempo
Horizon - Reprodução - Reprodução
Horizon
Imagem: Reprodução
Trabalho remoto no metaverso - Reprodução - Reprodução
Trabalho remoto no metaverso
Imagem: Reprodução
  • nova versão do Messenger com possibilidade de fazer ligações em RV e, por meio delas, fazer viagens por ambientes de realidade virtual
Metaverso - Reprodução - Reprodução
Metaverso
Imagem: Reprodução
  • aplicativo Polar, uma ferramenta para desenvolvimento de filtros
  • atualização do Spark AR, software de realidade aumentada do Facebook que ganha novos objetos virtuais em locais mapeáveis e interação entre o corpo e objetos virtuais
  • Body Tracking e o Hand Tracking, filtros que alteram o corpo e podem incluir objetos pelo corpo e nas mãos (em novembro) --dá para escolher maquiagem, cor dos olhos e cabelo, tatuagens, tom de voz, imagem de fundo, filtros de cores, acessórios e efeitos especiais
GTA San Andreas no metaverso - Reprodução - Reprodução
GTA San Andreas no metaverso
Imagem: Reprodução
  • pacote de ambientes para praticar exercícios físicos nos Oculus (boxe em ambiente ultra realista, estúdios fitness do jogo FitXR e do Player 22, da Rezzil, por exemplo, usados por atletas profissionais e agora disponíveis para qualquer um)
  • pacote de acessórios fitness para tornar a experiência com o Quest 2 ainda mais real (previsto para 2022) --será possível até mesmo limpar o "suor virtual" após uma sessão de treino
  • novos avatares em realidade virtual a partir de dezembro deste ano
  • recurso de multiplayer para os usuários do Oculus (você pode convidar pessoas para um jogo de RV)
Ensino no metaverso - Reprodução - Reprodução
Ensino no metaverso
Imagem: Reprodução
  • experiências em realidade virtual em lugares que já existem, como a inclusão de uma caça ao tesouro em um parque temático ou uma visita guiada em uma cidade turística, além de frases de textos, gifs, figurinhas e personagens que poderão ser aplicados e ficarão flutuando na tela.
  • plataforma para recursos de inteligência artificial e comandos de voz para o Oculus

A empresa vai investir US$ 150 milhões na formação de programadores em RV (realidade virtual) e RA (realidade aumentada), com certificado e treinamento para criar ambientes virtuais e jogos.