PUBLICIDADE
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Dell XPS 13: o melhor notebook compacto, mas não dá para ter tudo

Divulgação/Tilt
Imagem: Divulgação/Tilt

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

06/10/2021 04h00Atualizada em 07/10/2021 13h18

O que você considera mais importante na hora de comprar um notebook? Para mim, que preciso de um laptop para levar em eventos, viagens e pautas, para trabalhar em casa e na redação, além de usar para lazer nas horas vagas, três coisas são fundamentais: o aparelho precisa ser leve, ter uma boa tela e ser muito potente.

O XPS 13, da Dell, tem tudo isso, mas por um preço salgado. A versão com tela 4K sensível ao toque que testei chegou ao Brasil por R$ 12.699, e hoje pode ser encontrada no varejo custando cerca de R$ 10 mil. É muito dinheiro para investir num notebook, mas será que vale a pena?

Eu preciso confessar que adorei cada minuto que passei testando o XPS 13. Embora eu prefira notebooks com 15 polegadas, as bordas finas, a sensibilidade ao toque e a resolução 4K da tela deste notebook me conquistaram. Sem falar na super velocidade e no design fino e leve, que fazem deste um dos melhores laptops compactos do Brasil.

Mas tantas qualidades num formato tão pequeno custam mais do que dinheiro. O XPS 13 não tem recursos importantes —básicos até, dependendo do seu hábito de uso— que a maioria dos notebooks mais baratos e mais pesados têm. Recursos que podem fazer falta com o passar do tempo.

A beleza está nos detalhes

O XPS 13 pode ser descrito como um "MacBook Air com Windows". O destaque, antes mesmo de ligá-lo e configurá-lo pela primeira vez, é o design.

Fechado, ele tem pouco mais de 1 centímetro de espessura na parte mais grossa e pesa pouco mais de 1,2 Kg. É muito fácil de transportar na mochila ou de levar para qualquer canto da casa.

dell - Lucas Carvalho/Tilt - Lucas Carvalho/Tilt
Imagem: Lucas Carvalho/Tilt

A estrutura de alumínio ajuda a mantê-lo frio e dá um ar de elegância, potência e, principalmente, durabilidade que o plástico de modelos mais baratos não tem.

Na região do teclado e do descanso das mãos ao redor do trackpad, o XPS 13 usa uma fibra de carbono confortável como borracha, mas que não junta tanta sujeira ou marcas de dedo. As teclas, aliás, são enormes, mas muito confortáveis, e são retroiluminadas em três níveis, de modo que fiquem visíveis mesmo no escuro.

A webcam razoável de 720p é acompanhada de sensores infravermelhos, que permitem que o notebook funcione com o Windows Hello para ser desbloqueado com reconhecimento facial, estilo ao Face ID do iPhone.

Se não quiser usar essa tecnologia, o teclado ainda vem com um leitor de impressões digitais. Ambos funcionam bem.

dell - Lucas Carvalho/Tilt - Lucas Carvalho/Tilt
Imagem: Lucas Carvalho/Tilt

Depois de ligado e configurado, o XPS 13 surpreende pelo desempenho. O processador Intel Core i7 de 11ª geração que vem nele é capaz de rodar quase qualquer programa, aplicativo e página da internet sem problemas, sem esquentar e sem fazer a ventoinha gritar.

Os 16 GB de RAM e 1 TB de SSD dão ainda mais tranquilidade. Pude abrir algumas dezenas abas do Google Chrome ao mesmo tempo e esse notebook aguentou sem reclamar. E com tudo isso, não há dúvidas de que ele conseguirá rodar o Windows 11 tranquilamente assim que a atualização chegar.

O que o XPS 13 não tem

Até agora falamos das qualidades do XPS 13, mas não se engane: este notebook, mesmo custando mais de R$ 10 mil, não é perfeito. Lembra dos recursos que ficaram de fora que eu falei no começo deste review? Vamos a eles.

Para começar, o XPS 13 só tem quatro portas: uma para fones de ouvido, outra para cartão microSD e duas do tipo USB-C. Não há conexão para cabo de rede, nem USB-A, nem entrada para cabo HDMI.

Em todos esses casos, você vai precisar de um adaptador Thunderbolt. Na caixa, só vem um, para USB-A.

dell - Lucas Carvalho/Tilt - Lucas Carvalho/Tilt
Imagem: Lucas Carvalho/Tilt

E por falar em entrada para fones de ouvido, o som do XPS 13 fica estranhamente metalizado quando estou usando o acessório. Sem fones, o som é bacana e bem alto, com bons graves sem soar estridente no volume máximo.

A tela sensível ao toque é muito bonita, mas o painel LCD não é brilhante o bastante para impedir que você veja seu próprio reflexo em ambientes muito claros. Isso incomoda um pouco, principalmente na hora de ver vídeos, séries ou filmes.

Mais uma contrapartida do formato compacto: a bateria de 52 Whr dura cerca de 6 a 7 horas de uso intenso, o que não é suficiente para um expediente inteiro de trabalho, por exemplo. O carregador USB-C consegue levá-lo de 10% a 100% em pouco mais de duas horas se você não usá-lo enquanto isso.

Ele vem com poucos programas pré-instalados, além de alguns básicos de suporte e configuração das cores da tela, da própria Dell, mas também vem com uma amostra grátis do antivírus McAffee que eu me vi obrigado a desativar para não ser constantemente bombardeado com pop-ups inúteis.

Por fim, o que mais faz falta num notebook tão potente quanto esse é uma boa placa de vídeo dedicada. Não se engane: o processador de última geração, a memória RAM e o SSD gigantes não são suficientes para rodar games com gráficos em 3D muito complexos.

Vale a pena?

Há no mercado brasileiro hoje notebooks tão potentes quanto o XPS 13, com tudo o que ele tem, e também com placas de vídeo bacanas para jogos, todas as entradas de cabos que você possa precisar, e que saem por quase a metade do preço.

Mas não existe no Brasil um notebook tão potente e, ao mesmo tempo, tão compacto quanto o XPS 13. O mais próximo é o já citado MacBook Air, da Apple, que pelos mesmos R$ 12 mil, vem com um SSD menor, não tem tela sensível ao toque, e, obviamente, com o sistema macOS, que não é tão versátil e aberto como o popular Windows.

Outros concorrentes entre os ultrafinos são o LG Gram, o Zenbook, da Asus, e o Galaxy Book Pro, da Samsung. Todos têm mais conexões e pesam pouco, mas vacilam em algum outro ponto, seja por não terem o processador mais recente, a tela mais compacta ou o chassi mais firme.

No fim das contas, a decisão é simples: se você quer o melhor notebook possível, mas por um preço mais acessível, e não liga para o tamanho ou peso, há muitas opções melhores que o XPS 13.

Mas se você faz questão de ter o melhor notebook possível no formato mais compacto para levar aonde quiser sem esforço, e não é fã incondicional do ecossistema Apple, o XPS 13 pode te surpreender.

Preço: R$ 11.199,00*

*O preço foi checado em 7 de outrubro de 2021 para atualizar esta matéria. Pode ser que eles variem com o tempo.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.