PUBLICIDADE
Topo

Novo recurso do Google Earth mostra destruição da Terra ao longo dos anos

Reprodução/Google Earth
Imagem: Reprodução/Google Earth

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt, em São Paulo

15/04/2021 10h10Atualizada em 15/04/2021 13h50

O Google Earth ganhou nesta quinta-feira (15) o Timelapse, função que reuniu 24 milhões de imagens registradas por satélites entre 1984 e 2020. O objetivo é mostrar a transformação e destruição do planeta Terra nas últimas décadas. A ferramenta foi desenvolvida com dados das agências espaciais dos Estados Unidos, a Nasa, e da Europa, a ESA, e em parceria com universidades norte-americanas.

Os efeitos do tempo e, principalmente, a ação do homem no planeta, agora podem ser melhor visualizados na plataforma. Nos últimos quase 40 anos, vivemos o aquecimento global, crises hídricas e outras consequências da exploração desenfreada dos recursos naturais. Tudo isso deixa marcas físicas e profundas por todo o globo.

Imagens de parte da Amazônia em 1984 - Reprodução - Reprodução
Imagens de parte da Amazônia em 1984
Imagem: Reprodução
Imagens de parte da Amazônia em 2020 - Reprodução - Reprodução
Imagens de parte da Amazônia em 2020
Imagem: Reprodução

Em uma viagem no tempo 3D com o novo modo Timelapse, dá para ver imagens como:

  • O crescimento do desmatamento da Amazônia;
  • O derretimento das geleiras polares;
  • O impacto da mineração e da agropecuária;
  • A expansão desenfreada das cidades;
  • Fenômenos naturais como a erosão;
  • Rios e lagos secando;
  • Estradas, pontes e aeroportos sendo construídos.

A construção da Usina Hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira, em Rondônia, e de ilhas artificiais nos países árabes têm todo seu processo registrado por meio da ferramenta.

Também é possível acompanhar desastres —naturais, como furacões e terremotos, ou causados pelo homem, como os de Brumadinho (Minas Gerais) e Fukushima (no Japão).

Segundo o Google, foram mais de 2 milhões de horas de processamento para tecer 20 petabytes de imagens de satélite em um único mosaico em vídeo de 4,4 terapixels —isso equivale a 530.000 vídeos com resolução 4K.

Como explorar?

1 - No navegador, acesse g.co/Timelapse;
2 - Use a barra de busca para escolher qualquer parte do mundo que deseja ver em movimento.

ou

1 - Abra o Google Earth;
2 - Clique no novo ícone de timão de barco;
3 - Navegue pelo globo com o cursor e o zoom, selecione os anos desejados, e explore livremente;
4 - Acesse as viagens interativas (stories) e os locais em destaque.

Para ajudar na exploração, há cerca de 200 destaques e "tours guiados", reunidos em cinco temas: mudanças nas florestas, crescimento de áreas urbanas, aumento na temperatura, fontes de energia e frágil beleza.

No endereço g.co/TimelapseVideos, há mais de 800 vídeos Timelapse em 2D e 3D, no formato MP4, para assistir e baixar.

Mudança urgente

De acordo com o Google, um dos principais objetivos do novo recurso é "educar, informar e inspirar as pessoas para a reflexão sobre os cuidados com a casa de toda a humanidade".

Assistindo em câmera rápida o que tem acontecido com a Terra nos últimos 37 anos, podemos monitorar nossa "pegada" e fazer melhores escolhas para o futuro. Reflorestamento, uso de energias renováveis, controle de emissões de CO2 e mudança de hábitos de consumo são algumas das ações para diminuir o impacto destrutivo dos seres humanos no planeta.

O Google Earth será atualizado anualmente com imagens Timelapse, ao longo da próxima década, à medida que receber mais imagens. Outros parceiros da empresa que ajudaram a criar a ferramenta foram o programa Landsat de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos —primeiro projeto civil de observação da Terra— o projeto Copernicus, da União Europeia, e os satélites Sentinel da ESA.