PUBLICIDADE
Topo

Faça como Nath Finanças! Saiba como identificar golpe do boleto falso

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Tilt, em São Paulo

22/02/2021 16h14

Conhecida por criar conteúdos sobre educação financeira, a influenciadora digital Nath Finanças compartilhou hoje em sua conta no Twitter que quase foi vítima do golpe do falso boleto bancário, com o agravante de o documento ter todos os dados pessoais verdadeiros dela. Na publicação, ela alertou os seguidores para os riscos existentes de fraudes.

Nath contou ter recebido um email idêntico ao da empresa que lhe presta serviço de internet, com a suposta segunda via do boleto bancário. Por segurança, a influenciadora acessou o aplicativo oficial da empresa para verificar o que tinha ocorrido.

"Eu nunca deixei de pagar a internet, entrei no aplicativo para confirmar e a fatura estava paga. É... já começaram os golpes", postou Nath, se referindo ao megavazamento de dados pessoais ocorrido no mês passado, quando informações de mais de 220 milhões de brasileiros (alguns já falecidos) foram parar na deep web, para o comércio ilegal das informações.

Até o início da tarde, a postagem já tinha mais de 20 mil curtidas e vários comentários de pessoas que já caíram em golpes parecidos ou conhecem quem já caiu nesse tipo de fraude.

Entenda o golpe do boleto falso

O envio de boletos falsos por email não é algo novo. Especialistas em segurança afirmam que esse é um dos golpes mais comuns envolvendo meios de pagamentos.

No geral, criminosos geram boletos quase idênticos aos de empresas conhecidas que possuem uma base grande de clientes — tal como companhias de telefonia e e serviços de banda larga. Os golpistas enviam o documento falso para vários endereços de email aleatoriamente, na esperança de que alguns dos destinatários sejam de fato clientes e caiam na mentira.

Com dados pessoais de milhões de brasileiros sendo vendidos indevidamente, esse tipo de golpe pode estar sim ainda mais refinado, por isso, tal qual fez Nath Finanças, desconfie se tiver recebido um boleto suspeito por email, mesmo que ele contenha seus dados.

A dica é sempre conferir se o boleto é verdadeiro antes de efetuar qualquer pagamento. Mas como faz isso?

Confira os três primeiros dígitos do boleto

Para isso, preste sempre atenção nos três primeiros números do documento e no campo "Nosso Número" (segunda sequência de 12 números do boleto bancário).

Por exemplo: uma cobrança do banco Itaú que comece com o número 237 (do banco Bradesco) é falsa, pois o número do banco é 341. Os códigos dos bancos podem ser encontrados no site da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Se não dá para ler o código de barras, desconfie

Boletos falsos geralmente têm o código de barras alterado para não serem lidos em leitores de caixa eletrônico ou de aplicativos bancários de celular. Caso seja impossível realizar a leitura, o cuidado com os números digitados deve ser redobrado, pois esse truque geralmente é feito para forçar a pessoa a digitar o número alterado.

Só emita boletos no site da empresa

Dificilmente, as empresas fazem cobranças por email. Então, se você receber um boleto bancário, é sempre bom conferir diretamente no site/aplicativo da companhia ou da instituição financeira. Assim, você verifica se existe de fato alguma cobrança sendo feita.

Apenas emita boletos no site oficial do banco ou da empresa que está fazendo a cobrança.

Nunca imprima os boletos

Existe um tipo de vírus conhecido como bolware que, quando instalado em um computador, consegue alterar as informações essenciais do boleto, como valor e a conta para onde irá o dinheiro a ser pago. Esse vírus entra em ação no momento em que a pessoa abre o documento para imprimi-lo.

Quando o pagamento é realizado, o dinheiro vai direto para a conta do golpista. Por isso, a recomendação da Febraban é nunca imprimir nenhum boleto e sempre manter o antivírus do computador atualizado.

Também desconfie de boletos que chegam em casa

Contas recebidas pelos Correios também podem ser alvos de criminosos. Existem casos em que eles sequestraram essas correspondências, as alteram e as enviam para seus destinatários com os dados bancários alterados do beneficiário. Para evitar cair nesse tipo de golpe, uma boa saída é pedir diretamente à empresa para que debite o valor da fatura da sua conta bancária ou cartão de crédito.

Confira os dados do beneficiário do boleto

Se o débito automático não for uma opção para você, sempre confira os dados do beneficiário, ou seja, de quem vai receber aquele valor quando for pagar um boleto. Seja no caixa eletrônico, pelo app do banco ou no Internet Banking, informações como o nome da empresa que vai receber o valor, o seu CNPJ e sua conta bancária aparecerão na tela antes de você confirmar o pagamento.

Se você verificou os dados e percebeu que eles não pertencem à empresa, não finalize o pagamento e entre em contato diretamente com a companhia.

Use o DDA (Débito Direto Autorizado)

A Febraban recomenda que as pessoas usem a forma de pagamento DDA (Débito Direto Autorizado). Para aderir, a pessoa precisa se registrar como "pagador eletrônico" na instituição financeira onde tem conta, ao fazer isso ela estará autorizando o banco a notificá-la sempre que um boleto for emitido em seu nome.

O serviço é diferente do débito automático porque, em vez de o cliente autorizar a instituição a pagar o boleto na data de vencimento, ele recebe o documento do próprio banco, mas precisa autorizar a operação. Como o serviço pega as informações diretamente da Plataforma de Cobrança da Febraban, não há risco de o boleto ser fraudado.