PUBLICIDADE
Topo

Celular com bateria potente é melhor? Faz diferença 2.000 ou 7.000 mAh?

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Thaime Lopes

Colaboração para Tilt

22/02/2021 04h00

Você já deve ter visto, ao comprar um celular, que cada modelo possui especificações de baterias diferentes com números sempre na casa dos mil acompanhados da sigla mAh. Se você nunca levou esse dado em consideração na hora de adquirir um smartphone é bom rever essa prática, porque esses mAh dizem respeito à durabilidade da bateria do aparelho que você quer comprar.

A sigla mAh se refere a "miliampere-hora" e é uma unidade de medida que indica a capacidade de carga elétrica de uma bateria. Quanto maior for esse número, maior será a autonomia do celular, ou seja, o tempo que ele aguenta ficar ligado e funcionar sem precisar ser recarregado. Em outras palavras, teoricamente, você vai demorar mais para precisar carregar o celular se ele tiver um alto mAh.

No mercado, ainda é possível encontrar celulares simples que possuem 1.500 mAh de bateria, mas o mais comum é que smartphones mais modernos tenham em torno de 4.000 mAh. O Samsung Galaxy M51 é considerado o aparelho com a bateria mais potente no mercado brasileiro, com 7.000 mAh.

Mas não é porque o seu celular tem 4.000 mAh que a bateria dele é pior que a de outro com 7.000 mAh. Isso porque os fabricantes colocam em seus smartphones baterias que correspondem à capacidade de uso dos seus aparelhos.

Assim, um iPhone 12 Pro Max, o modelo top de linha da Apple, que possui 3.687 mAh vai conseguir reproduzir até 20h de vídeo ou 80h de áudio de forma ininterrupta, por exemplo, com a bateria que tem. Já a bateria de 5.000 mAh do Samsung Galaxy S21 Ultra 5G seria suficiente para durar 24h com um uso mediano, segundo o fabricante (o modelo ainda não está disponível no mercado).

Se você está se perguntando se a potência da bateria interfere no preço, a resposta é sim. Hoje, as baterias dos smartphones são feitas à base de lítio e, quanto maior a capacidade delas, mais material é necessário para sua produção. Por isso, o valor dos celulares pode sim variar de acordo com suas baterias, além das suas funcionalidades.

Tempo interfere na durabilidade

O tempo de duração das baterias também tem a ver com a saúde delas — ou seja, se você mantém boas práticas ao recarregar o seu aparelho —, e o tempo em que elas vêm sendo usadas. Por isso, não importa se o seu celular tem uma bateria de 2.000 mAh ou 5.000 mAh, a partir do momento que ela começar a ser usada, ela vai iniciar um processo de desgaste.

Muitos fabricantes inseriram nas configurações de seus smartphones estatísticas para que o usuário acompanhe como está a vida da bateria. Nos iPhones, por exemplo, isso pode ser encontrado em Ajustes > Bateria > Saúde da Bateria.

Como escolher o smartphone certo?

  • Opte por aparelhos que sejam compatíveis com seu ritmo de uso.
  • Se você usa o celular o dia inteiro, conectado à internet e alternando entre aplicativos, é importante escolher um modelo com uma bateria mais potente.
  • Verifique se o modelo desejado é certificado pela Anatel. Isso garante que o produto seja verdadeiro e seguro.

Fonte: Maria de Fátima Rosolem, pesquisadora da área de Sistemas de Energia do CPQD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações) e especialista em baterias