PUBLICIDADE
Topo

Os Eleitos: série traz drama à história dos primeiros astronautas dos EUA

Imagem da série "Os Eleitos", da National Geographic - Divulgação/National Geographic
Imagem da série "Os Eleitos", da National Geographic Imagem: Divulgação/National Geographic

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

05/02/2021 04h00Atualizada em 06/02/2021 15h18

Sem tempo, irmão

  • Série dramatiza eventos reais que levaram ao surgimento da primeira equipe de astronautas da Nasa
  • História é baseada no romance best-seller de Tom Wolfe, de 1979
  • Leonardo DiCaprio produz a série, que estreia exclusivamente no streaming Disney+

Ser do sexo masculino, ter menos de 40 anos, não mais que 1,80 m, ter um diploma universitário, ser um piloto militar de jato, ser experiente em testes de voos. Esses eram os requisitos para você ser um dos sete primeiros astronautas da recém-criada Nasa para o projeto Mercury, em 1958.

É esta história que conta a série "Os Eleitos" (The Right Stuff), que estreia nesta sexta-feira (5) no serviço de streaming Disney+. Produzida em parceria com a National Geographic, traz em sua primeira temporada oito episódios, lançados semanalmente, sempre às sextas-feiras.

A série não é um documentário nem mostra imagens de arquivo. É uma obra dramática, relativamente fiel aos fatos históricos, com atuações convincentes e uma boa ambientação nos anos 60.

O primeiro episódio se inicia no dia 5 de maio de 1961, quando a Terra parou para ver Alan Shepard se tornar o primeiro americano a ir ao espaço. Depois, vai voltando no tempo para mostrar a história e os conflitos pessoais de cada um dos pioneiros, que ficaram conhecidos como "Mercury Seven".

Além de Shepard, a equipe contava com Scott Carpenter, Gordon Cooper, John Glenn, Gus Grissom, Wally Schirra e Deke Slayton. No enredo, de repente eles viraram verdadeiras celebridades: apareciam na televisão e estampavam capas de revistas, eram assediados por mulheres e idolatrados como heróis pelas crianças.

Gente como a gente?

Tilt teve acesso antecipado aos cinco primeiros episódios de "Os Eleitos" —mas não daremos spoilers. A nova produção foi baseada no romance homônimo de Tom Wolfe, um best-seller de 1979, e é produzida por Leonardo DiCaprio. O livro também teve uma ótima adaptação para o cinema em 1983, dirigida por Philip Kaufman, que merece ser assistido.

Diferente do livro e do filme, que focam nos fatos da agência espacial, a série traz mais componentes ficcionais para se aprofundar na vida e na personalidade dos astronautas, mostrando que eram homens comuns, com seus defeitos. Intrigas, alcoolismo, vícios e adultério são temas comuns aos episódios.

Além do desenvolvimento das tecnologias e do contexto histórico-político, a trama gira em torno das personalidades opostas e rivalidades entre John Glenn (interpretado por Patrick J. Adams, de "Suits") e Alan Shepard (Jake McDorman, de "What We Do in the Shadows" e "Lady Bird"), que competem pelo posto de melhor piloto e chegam a ameaçar o andamento do projeto.

Elenco de Os Eleitos, série sobre os primeiros astronautas da Nasa - Divulgação/NatGeo - Divulgação/NatGeo
Elenco de Os Eleitos
Imagem: Divulgação/NatGeo

A relação dos sete com suas famílias também dá contornos dramáticos à história —algo que é brevemente retratado no livro, citando a solidão e angústia das esposas, em uma época em que elas não tinham voz. A série mostra algumas mulheres a frente de seu tempo, como Trudy Cooper, que também pilotava aviões.

Todos os eleitos fizeram carreira de grande sucesso como astronautas na era de ouro da exploração espacial nas décadas seguintes. E também foram muito bem-sucedidos em suas carreiras civis posteriores. Glenn foi senador dos Estados Unidos por 24 anos e é a pessoa mais velha a ir ao espaço até hoje, voando pela última vez aos 77 anos, em uma missão de nove dias no ônibus espacial Discovery.

Corrida espacial

Mercury Seven, os sete primeiros astronautas da Nasa - Nasa - Nasa
Mercury Seven, os sete primeiros astronautas da Nasa
Imagem: Nasa

"Os Eleitos" mostra como foi o processo de transformar um foguete militar para lançar armas nucleares em um meio de transporte capaz de levar uma pessoa à órbita terrestre e trazê-la de volta com segurança. Alguns elementos mostrados são a cápsula construída do zero, os novos instrumentos, os primeiros simuladores de voo e força G (gravidade), os testes não-tripulados e o trabalho dos engenheiros contra o relógio.

O que estava em jogo não era apenas a exploração espacial, mas uma vitória na Guerra Fria e uma estratégia de marketing. Quem colocaria o primeiro homem no espaço, Estados Unidos ou União Soviética?

O lançamento do satélite Sputnik 1 pelos soviéticos, em 1957, deixou os norte-americanos desesperados. Eles estavam perdendo uma corrida espacial que mal havia começado. No ano seguinte, o presidente Dwight Eisenhower criou a Nasa e o projeto Mercury.

Em 1959, mais um golpe: a sonda soviética Luna 3 tirou fotos do lado oculto da Lua, enquanto os testes do foguete dos EUA colecionavam acidentes e falhas. Em 12 de abril de 1961, o russo Yuri Gagarin marcou a história como o primeiro ser humano a ir ao espaço. Mas apenas 23 dias depois, o jogo virou: o lançamento da Mercury foi um êxito tão grande que abriu as portas para novos projetos com naves tripuladas, incluindo as missões Apollo, que levaram o homem à Lua.