PUBLICIDADE
Topo

Como o robô mais assustador do mundo pode ajudar a combater a covid-19?

O cão-robô Spot foi equipado com uma câmera para trabalhar no combate ao novo coronavírus - Divulgação
O cão-robô Spot foi equipado com uma câmera para trabalhar no combate ao novo coronavírus Imagem: Divulgação

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

26/04/2020 04h00

Um cão-robô poderia realizar muitas tarefas, mas a pandemia de coronavírus trouxe uma nova oportunidade para testar funções para a máquina. O equipamento, chamado de Spot, está sendo usado em um hospital em Boston (EUA).

O Brigham And Women's Hospital, da Universidade de Harvard, está usando o Spot desde a semana passada para triagem remota de pacientes suspeitos de covid-19. O cão-robô, na verdade, virou uma máquina de telemedicina. Spot foi equipado com um tablet para ser usado em videoconferências entre médicos e seus pacientes.

A Boston Dynamics, criadora do robô, também decidiu tornar público os arquivos de configuração do Spot. "Com a implantação do nosso primeiro robô voltado para a área da saúde, abrimos o código de todo nosso trabalho para capacitar qualquer plataforma de robótica móvel a aproveitar o mesmo conjunto de hardware e software que desenvolvemos para ajudar os profissionais de saúde da linha de frente", disse a empresa em um comunicado.

A empresa afirma que robôs com rodas podem ser "uma solução melhor para esse tipo de aplicação".

Sobre o Spot, a empresa quer empregar o robô para executar tarefas como verificar a temperatura de pacientes e calcular a frequência respiratória com uma câmera térmica.

A empresa também estuda se seus robôs Spot podem se tornar ferramentas para desinfecção de áreas como terminais de transporte público, áreas hospitalares ou tendas de triagem de coronavírus. Para isso, usará luz ultravioleta.

Curiosamente, no ano passado, a Boston Dynamics buscava interessados que ajudassem a dar uma função ao quadrúpede robótico. Parecia não saber muito bem para que servia a sua criação. Hoje o cenário mudou.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS