PUBLICIDADE
Topo

Com novos recursos, Cabify tenta ganhar o coração dos motoristas de app

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

30/01/2020 04h00

Sem tempo, irmão

  • Novidades incluem demandas antigas de motoristas de aplicativo
  • Novos recursos darão mais informações para que eles decidam aceitar, ou não, corridas
  • A "taxa de aceitação de corrida" deixou de ser um fator na distribuição de passageiros
  • App também introduziu duas categorias de viagens para passageiros

A Cabify resolveu mirar nos motoristas de aplicativo para tentar diferenciar seus serviços dos das concorrentes Uber e 99. A empresa lançou nesta quinta-feira (30) uma série de recursos que visam dar a quem trabalha com o app mais informações para ajudar na hora de aceitar, ou não, uma viagem.

Com estas novas ferramentas, a empresa quer dar mais autonomia nas escolhas e segurança no trabalho dos motoristas. Antes de aceitar uma corrida, motoristas receberão as seguintes informações:

  • O valor bruto a ser pago pelo passageiro (sem o desconto do que ficará com a Cabify);
  • A forma de pagamento da corrida;
  • O tempo que o motorista levará para buscar o passageiro; e
  • A rua de destino do passageiro, sem número, e um mapa do trajeto.

Novo Cabify - Divulgação - Divulgação
Cabify passa a informar preço, forma de pagamento (na imagem, cartão), tempo até o destino e a via de onde sairá a corrida
Imagem: Divulgação
Com os dados em mãos, eles poderão escolher se querem, ou não, atender ao chamado. Caso decidam procurar outro passageiro, eles não serão penalizados por isso.

Em outros aplicativos, a taxa de aceitação de corridas é um dos parâmetros utilizados para priorizar certos motoristas. Com esta política, a Cabify tira a punição daqueles motoristas que preferirem deixar passar uma corrida ou deixaram o aplicativo aberto enquanto atendiam um passageiro de outro aplicativo, não aceitando eventuais chamados que vieram no meio da viagem.

Os recursos chegam para atender demandas dos motoristas de aplicativos, que argumentam que mais informações são importantes para segurança deles próprios. Ao mesmo tempo, a nova regra pode dificultar que passageiros consigam pedir corridas para locais considerados inseguros, ou que rendam pouco dinheiro.

A empresa diz que isso será contornado pela forma com que os pedidos são distribuídos.

"A Cabify enviará a solicitação de viagem para mais motoristas parceiros ao redor do passageiro e, desta forma, aumentará a chance do usuário ter sua corrida aceita. Antes a empresa praticava uma forma diferente de distribuição de corridas, enviando um por um até algum condutor próximo aceitar", explica Carolinne Iglesias, diretora de operações da Cabify.

"Agora, a solicitação será enviada para o motorista parceiro mais próximo que terá alguns segundos para aceitar. Caso não o faça, a corrida será distribuída para múltiplos condutores próximos ao mesmo tempo, o que agregará mais agilidade e possibilidade para o passageiro conseguir uma corrida pela Cabify."

Outro ponto que pode incomodar os passageiros é a descrição mais precisa do destino da corrida — concorrentes mostram o bairro, não a rua onde a viagem irá terminar. Iglesias explica que este recurso será avaliado após a disponibilização e que, "para garantir a privacidade, a empresa não abre exatamente onde é o local de desembarque e mostra somente um mapa da região". Ela ainda adicionou que a mudança "respeita as legislações aplicáveis ao tema".

Novas categorias e "modo destino"

Outra novidade introduzida pela Cabify para agradar aos motoristas é a possibilidade de "direcionar" uma corrida para uma região desejada - recurso já disponível nos concorrentes. O "modo destino" poderá ser acionado duas vezes ao dia, permitindo que quem trabalha com o aplicativo escolha, por exemplo, começar o expediente levando alguém para uma região movimentada e, no fim do dia, pegar um passageiro que vá desembarcar na direção da residência do motorista.

A empresa também trouxe uma novidade para os passageiros, com a divisão de sua categoria única (Lite ou Essential, dependendo da região) em Economy — mesma frota de carros da Lite/Essential — e Comfort — veículos mais espaçosos e preços maiores.

Na Economy, o preço será mais baixo para os passageiros, enquanto para motoristas a taxa cobrada pela empresa sobre o valor da corrida também será menor. Na Comfort, preço e taxa são um pouco mais altos para ambos.

Nas duas categorias, a Cabify diz oferecer uma margem de lucro "mais atraente" para motoristas na comparação com os outros aplicativos do ramo. "A empresa conseguiu desenvolver uma tabela na qual os cálculos de ganhos por quilômetros e minuto resultam em uma margem atraente ao motorista parceiro sem incrementar o preço para o passageiro", finalizou Iglesias.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS