Topo

5 coisas que você precisa saber sobre a série Redmi Note 8, da Xiaomi

Redmi Note 8 Pro é o primeiro celular a ter uma câmera de 64 MP - Divulgação
Redmi Note 8 Pro é o primeiro celular a ter uma câmera de 64 MP Imagem: Divulgação

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

29/08/2019 14h39

Uma das séries de smartphones mais populares do momento ganhou sua nova versão nesta quinta-feira (29), quando a chinesa Xiaomi anunciou os modelos Redmi Note 8 e Redmi Note 8 Pro. Os celulares da categoria intermediário chegarão à China no próximo dia 3 de setembro pelo preço de 999 yuans (aproximadamente R$ 581) e 1.399 yuans (aproximadamente R$ 814), respectivamente.

Como a marca é a quarta maior do mercado de smartphones no mundo e vem ganhando espaço no Brasil, decidimos apresentar algumas das novidades desses modelos que você precisa saber, afinal a duplinha pode pintar por aqui nos próximos meses.

1) A primeira câmera de 64 MP em um celular

Dando sequência a uma tendência de smartphones com câmeras com muitos megapixels, o Redmi Note 8 Pro é o primeiro aparelho anunciado oficialmente que vem equipado com uma câmera de 64 MP. O sensor é da Samsung e é o da câmera principal do celular, que conta com mais três lentes.

Uma delas é uma grande angular de 8 MP, outra é um sensor de profundidade de 2 MP e a última é um sensor macro de 2 MP, usado para melhorar aquelas fotos tiradas bem de perto.

2) A dupla tem câmera quádrupla

O Redmi Note 8 Pro é o primeiro a ter uma câmera de 64 MP, mas a versão normal do celular também tem um conjunto de sensores poderoso. O principal tem 48 MP, enquanto os outros repetem as configurações do Pro: grande angular de 8 MP, sensor de profundidade de 2 MP e o sensor macro de 2 MP.

No design, há uma diferença crucial no posicionamento das câmeras. Enquanto todas do 8 Pro estão alinhadas no centro do celular, com direito ao sensor de digital acoplado ao sistema, no 8 comum elas estão alinhadas no canto superior esquerdo da traseira do celular, enquanto o sensor de digital fica solitário nas costas do aparelho.

3) Bateria para longas sessões de uso

Os dois novos modelos prometem uma boa independência das tomadas. O Redmi Note 8 mantém o que a Xiaomi adotou para seu antecessor, trazendo uma bateria de 4.000 mAh. Sempre é preciso ver na prática o que isso significa, mas toda essa capacidade de carga normalmente corresponde a pelo menos um dia e meio de uso sem necessidade de recarregar.

No caso do Redmi Note 8 Pro, a tendência é que o celular aguente ainda mais tempo sem precisar de uma carga, já que a bateria dele tem 4.500 mAh. Não é a maior do mercado, já que modelos como Zenfone 6 e Moto G7 Power têm baterias de 5.000 mAh, mas é um recorde para essa linha da Xiaomi.

4) Telas, câmeras de selfie e processadores diferentes

Embora sejam da mesma linha, os dois modelos têm algumas diferenças cruciais. Ambos usam telas de LCD com resolução Full HD+, mas a do Redmi Note 8 Pro tem 6,53 polegadas contra 6,3 do Redmi Note 8. No topo da tela, os dois têm um entalhe no formato de gota onde está a câmera frontal, que tem 20 MP no 8 Pro e 13 MP no 8.

Os processadores talvez sejam a maior diferença entre os smartphones, já que o Redmi Note 8 Pro usa o Helio 690T da taiwanesa MediaTek, enquanto o Redmi Note 8 vem equipado com o Snapdragon 665, da americana Qualcomm.

5) Sem previsão para o Brasil

A Xiaomi passou a vender seus produtos no Brasil em junho deste ano, quando foi inaugurada uma loja da marca em um shopping de São Paulo. Desde então, ela anunciou a chegada do Mi 9T ao mercado brasileiro. Ficamos curiosos de haveria alguma novidade com relação à linha Redmi Note 8.

A resposta que recebemos da empresa foi que, no momento, não há previsão para a chegada dos novos smartphones ao nosso território. Em seu site oficial, a empresa vende o Redmi Note 7 por R$ 1.999,99. Segundo a Xiaomi, o modelo vendeu 20 milhões de unidades no mundo até o final de junho de 2019.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Mais 5 coisas que você precisa saber sobre