Topo

Elon Musk quer deixar Marte "habitável" com explosões atômicas no planeta

Ideia de Elon Musk é antiga - Jim Watson/AFP
Ideia de Elon Musk é antiga Imagem: Jim Watson/AFP

Fabrício Calado

Colaboração para Tilt

19/08/2019 19h56

Sem tempo, irmão

  • Executivo usou o Twitter para retomar antiga ideia para mudar Marte
  • Armas nucleares seriam usadas para derreter calotas polares do planeta
  • Estudos científicos não corroboram com teoria de Musk

Um tuíte recente de Elon Musk, executivo-chefe da Tesla e da empresa de transporte espacial Space X, mostra que o empreendedor não deixou de lado sua ideia de bombardear Marte com armas nucleares.

"Bombardeiem Marte!", diz um tuíte de Musk postado na sexta-feira. A mesma frase também virou estampa de uma camiseta e aparece ao fundo do perfil de Musk no Twitter.

O empreendedor já disse que, se Marte fosse atacado com armas nucleares, as calotas polares do planeta poderiam derreter, liberando assim grandes quantidades de dióxido de carbono na atmosfera. A ideia é que isso criaria um efeito estufa que aumentaria a temperatura e pressão do ar de Marte - basicamente, um aquecimento global versão turbo.

Não há consenso sobre essa teoria, porém. Estudos da Nasa e de outros acadêmicos independentes concluíram que a explosão não aumentaria muito o volume de dióxido de carbono em Marte, que já é baixo, beirando os 6%.

Musk defende sua hipótese de "solução nuclear para Marte" desde pelo menos 2015. Em 2017, o bilionário publicou um artigo no jornal científico New Space detalhando como os seres humanos poderiam construir uma colônia para um milhão de pessoas em Marte em menos de um século.

O certo é que a SpaceX continua testando e ajustando um protótipo de foguete para Marte, e espera levar humanos para lá em breve. A Nasa também já disse que pretende usar foguetes da empresa de Musk para viagens a Marte e à Lua.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Ciência