Topo

Carinha de anime: segurança virtual japonês reconhece sozinho seu rosto

Vigilante consegue reconhecer pessoas, se expressar e acionar guardas humanos - Reprodução/Secom e Japantoday
Vigilante consegue reconhecer pessoas, se expressar e acionar guardas humanos Imagem: Reprodução/Secom e Japantoday

Luiza Ferraz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/05/2019 04h00

Já imaginou entrar em um prédio ou consultório médico e se deparar com um segurança estilo anime? Uma empresa japonesa especializada em proteger empresas criou uma espécie de porteiro-vigilante-recepcionista --que pode ser do gênero masculino ou feminino--- inspirados nas séries animadas do país.

Com ajuda da multinacional de telecomunicações Docomo, a empresa Secom desenvolveu uma variedade de capacitações para o guarda digital, por assim dizer. A imagem do profissional é transmitida em uma grande tela, com textura espelhada -- o que dá um efeito meio estranho.

Mas pelo menos ele tem um toque humanizado em seu rosto, sendo capaz de se expressar de um modo mais natural, digamos assim.

É claro que garantir a segurança dos funcionários no local é a principal função. Para isso, o anime também conta com um dispositivo de reconhecimento facial. Se ele reconhecer a pessoa, ela pode entrar no prédio.

Em casos de situações suspeitas, o vigilante digital consegue enviar alertas para os guardas humanos. Além disso, se alguém tiver passando mal ou precisando de atendimento hospitalar, anime consegue identificar e pedir assistência.

Para crianças e pessoas mais baixas, o vigilante consegue também agachar para responder suas devidas perguntas e dar informações.

O lançamento oficial da tecnologia está previsto para o próximo ano. Enquanto isso, a sua inteligência vai sendo treinada e melhorada. Curtiu a ideia?

Qual o impacto da inteligência artificial nos nossos empregos?

Entenda

Entenda a tecnologia por trás das nossas coisas

Leia mais

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Inovação