PUBLICIDADE
Topo

'Não deveriam existir': chefe da Apple ataca empresas como Facebook

Tim Cook voltou a tecer críticas contra o Facebook - Reprodução
Tim Cook voltou a tecer críticas contra o Facebook Imagem: Reprodução

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

01/03/2019 17h41

Crítico de companhias como o Facebook, o executivo-chefe da Apple, Tim Cook, voltou a atacar ações como as feitas pela empresa de Mark Zuckerberg. Na reunião anual de sua companhia, o sucessor de Steve Jobs direcionou uma ofensiva contra quem coleta e usa dados de usuários.

Ao responder a uma questão de um dos presentes na reunião sobre como a companhia via a privacidade, Tim Cook passou a soltar críticas contra quem cria dossiês sobre outras pessoas e usa essa informação para colocar um grupo contra outro, segundo o site Business Insider.

"A ideia de que alguém construiu esse enorme e detalhado perfil de você e de todos nesta sala e então pega esse perfil detalhado para ser usado é ofensiva para nós", apontou o executivo da Apple.

Nós achamos que isso é errado e não deveria existir

Não houve uma menção direta ao Facebook, mas a relação é clara. O serviço do Facebook, com os dados e mapeamento que faz dos usuários a partir de curtidas e do algoritmo, já foi aproveitado por grupos que enviavam propagandas direcionadas. Isso fez o mundo chegar à era atual com democracias ameaçadas e líderes populistas autoritários surgindo em várias nações.

Mais regulamentações

Tim Cook foi além na crítica e pediu novamente por mais regulamentações na indústria de tecnologia para proteção de privacidade. Nas palavras do executivo norte-americano, "não precisamos olhar longe" para ver os perigos de um mundo em que tudo que as pessoas fazem online é rastreado e monitorado.

Você é o produto: cada passo que você dá na web gera rastros e essas informações são usadas para te vigiar e influenciar o seu comportamento

Entenda

"Achamos que regulamentação é necessária nesse caso. Acredito muito no livre mercado, mas também acredito muito em olhar no espelho e admitir quando não está funcionando. E não está funcionando", cravou.

Nos últimos tempos, a Apple tenta se dissociar de empresas concorrentes como uma protetora da privacidade de seus usuários. Isso ocorreu em anúncio na CES 2019 para provocar o Google e também em propagandas recentes dos iPhones.

Quando o escândalo da Cambridge Analytica surgiu em março de 2018, Tim Cook chegou a cutucar Zuckerberg e afirmou que "não estaria nessa situação". Essa foi só uma das várias críticas do executivo à empresa rival.

Mais recentemente, a Apple baniu apps internos usados por Facebook e Google após a imprensa noticiar que eles abusavam de permissões para coletar dados de usuários dos iPhones em pesquisas dirigidas.