PUBLICIDADE
Topo

Bate-volta espacial! Rússia testará voos "supercurtos", de 2 horas, à ISS

11.out.2018 - A nave russa Soyuz é lançada da base de Baikonur, no Cazaquistão, rumo à ISS (Estação Espacial Internacional) - Shamil Zhumatov/Reuters
11.out.2018 - A nave russa Soyuz é lançada da base de Baikonur, no Cazaquistão, rumo à ISS (Estação Espacial Internacional) Imagem: Shamil Zhumatov/Reuters

Em Moscou

16/12/2019 07h49

A agência espacial russa Roscosmos anunciou hoje que lançará em 2020 uma nave Soyuz que deverá chegar em apenas duas horas à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

"Até a ISS em duas horas. Será testado um esquema de voo das naves espaciais de uma só volta", informou a agência em vídeo apresentado na base de lançamento de Vostochny.

O diretor-geral da Roscosmos, Dmitry Rogozin, lembrou que antes do fim deste ano será realizado o lançamento de uma nave tripulada com o esquema de voo curto, que consiste em duas voltas ao redor da Terra, com duração de três horas e meia. Atualmente, as naves espaciais russas chegam à ISS em dois dias ou seis horas.

A agência também realizou três voos com cargueiros no esquema de duas voltas, que deve ser aplicado às viagens tripuladas. Rogozin explicou que a Roscosmos já efetuou 22 dos 25 lançamentos previstos para 2019.

Rogozin comentou que a Rússia talvez deixe de enviar novos módulos à ISS, aproveitando a experiência adquirida durante a fabricação dos existentes para missões na órbita lunar.

"Precisamos avaliar se faz sentido enviar mais módulos à ISS porque seu futuro está claro. Só vai existir até 2028. O recurso vital dessas naves é de 15 a 20 anos. Vale a penas enviá-las por três ou quatro anos para depois jogá-las no oceano junto com a estação. Não sei", afirmou.

Transporte