Topo

Privacidade em risco: usuários do Instagram expõem dados em contas comerciais

É preciso informar um número de telefone ou email ao público para ter conta comercial no Instagram - Getty Images
É preciso informar um número de telefone ou email ao público para ter conta comercial no Instagram Imagem: Getty Images

Sarah Frier

29/07/2019 08h23

Milhões de jovens estão transformando suas contas pessoais do Instagram em perfis "comerciais" para saber mais sobre o desempenho de seus posts. A tendência acaba tendo uma consequência indesejada para a privacidade.

Para ser classificado como um negócio no Instagram, plataforma de mídia do Facebook, os usuários concordam em fornecer seu número de telefone ou e-mail ao público no aplicativo. A escolha - facilitada pelo design e sugestividade do Instagram - pode colocar em risco a privacidade dos usuários que fazem a mudança e a de seus amigos, segundo David Stier, cientista de dados independente que relatou o problema à empresa e conduziu uma análise abrangente de 200 mil contas no mundo com várias técnicas de amostragem diferentes.

"Converso com os pais e pergunto: 'Você sabia que, se seu filho de 13 anos transformar a conta dele no Instagram em uma conta comercial, mais de 1 bilhão de pessoas terão acesso às suas informações de contato?'", disse Stier. "Todos os pais com quem falo dizem algo como: 'você está brincando?'".

Muitos sites de redes sociais, incluindo o Instagram, definem uma idade mínima de 13 anos, uma regra que muitos adolescentes e, até mesmo crianças mais jovens, regularmente ignoram ao abrir uma conta.

"Qualquer um pode mudar sua conta do Instagram para um perfil comercial", disse o Instagram em comunicado. "Permitimos isso porque queremos que qualquer pessoa no Instagram possa começar um negócio, caso queira. Durante o processo de configuração, lembramos às pessoas que suas informações de contato estarão acessíveis a outras pessoas e permitirão que atualizem ou ocultem essas informações."

Stier verificou a idade das pessoas com informações exibidas nas biografias ou perfis dos usuários. Ele disse que viu adolescentes com perfis com informações como "sem fins lucrativos" ou "atletas". Mas, ao analisar seus perfis, descobriu que uma parte significativa deles não era de empresas, mas de pessoas comuns, às vezes com meras centenas de seguidores.

Depois que Stier relatou o problema para o Facebook, o Instagram deixou as informações de contato menos visíveis. Mas a empresa disse que não considerou suas descobertas uma vulnerabilidade de segurança porque os usuários fizeram suas próprias escolhas sobre quais informações exibir, de acordo com uma troca de e-mails revisada pela Bloomberg.

Stier argumentou que, apesar dessa escolha, o Instagram poderia proteger a privacidade dos usuários. É possível enviar e-mail e ligar para as pessoas sem exibir seus dados pessoais reais. Muitas empresas usam formulários de contato, por exemplo, ou e-mails anônimos. O Instagram poderia fazer o mesmo para menores de idade, disse.

Você é o produto: cada passo que você dá na web gera rastros e essas informações são usadas para te vigiar e influenciar o seu comportamento

Entenda

Dado não é roubado: o ano que nos obrigou a cuidar melhor dos nossos dados

Leia Mais

Mais Redes sociais