PUBLICIDADE

Topo

De Mega Man a Resident Evil: a longa história da Capcom

Megaman vermelho Toy Action Figure - Ozgur Guvenc/Özgür Güvenç - stock.adobe.com
Megaman vermelho Toy Action Figure
Imagem: Ozgur Guvenc/Özgür Güvenç - stock.adobe.com

Por André "AvcF" Franco

Do GameHall

03/06/2020 04h00

Celebrada por sua extensa história de sucessos e por sua incalculável contribuição à indústria dos videogames, a Capcom é uma das maiores referências de jogos japoneses.

São décadas de games como Street Fighter, Resident Evil e Mega Man, que não foram apenas grandes sucessos comerciais, mas se tornaram referências dentro de seus gêneros, pavimentando o caminho da empresa.

Shooting star

Fever Chance - rakupa.jp - rakupa.jp
Imagem: rakupa.jp

Resultado da união das empresas I.R.M (1979) e Japan Capsule Computer (1981), a Capcom inicialmente fabricava máquinas de "medal games" - aquelas máquinas onde se tenta ganhar fichas ou tíquetes para trocar por brindes - inicialmente para terceiros, mas depois títulos próprios como "Little League" e "Fever Chance". A companhia seguiu assim até 1984, quando enfim começou a lançar seus primeiros videogames de fato.

O gênero shoot-em-up foi por onde a Capcom começou a se aventurar no mundo dos jogos eletrônicos, com o shooter de rolagem vertical Vulgus sendo o primeiro game da história da companhia. Em seguida, o primeiro sucesso da Capcom: 1942, um shooter também vertical, mas ambientado na Segunda Guerra Mundial, e o mais curioso de tudo: o Japão é o vilão, cabendo ao jogador chegar à Tóquio e destruir a frota aérea japonesa. 1942 recebeu conversões para várias plataformas, sendo o primeiro jogo da Capcom a virar uma franquia e ser lançado fora dos arcades. A conversão de 1942 foi inclusive o primeiro jogo da Capcom a ser lançado para o Famicom.

Impulsionado pelo sucesso do filme Commando, estrelado por Arnold Schwarzenegger, a Capcom segue no tema de jogos de guerra com seu clássico homônimo Commando, inaugurando o gênero "exército de um homem só" nos videogames:

No mesmo ano a Capcom lançou Makaimura, ou Ghosts 'n Goblins, um dos jogos mais difíceis de todos os tempos:

Porrada nas ruas

Além dos jogos de guerra, a década de 1980 viveu o sucesso dos jogos de luta e ação, os chamados beat em' ups. Assim, a Capcom lançou em 1987 Street Fighter, a semente que mais tarde germinaria a seminal sequência Street Fighter 2. Mas sem dúvida que o grande sucesso daquela década foi Final Fight:

A pancadaria nas ruas da decadente Metro City foi o grande sucesso comercial da Capcom até então, e após Double Dragon ter popularizado os beat'em ups, Final Fight se tornou o padrão desse estilo de jogo, sendo copiado por dezenas de outros títulos.

Mega Sucesso

Mega Man - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

No mercado de consoles domésticos, entre tantos sucessos baseados em conversões de arcade, o grande legado ficou com Mega Man, sobretudo sua sequência, Mega Man II, ainda hoje um dos melhores jogos de ação e plataforma de todos os tempos. 34 anos depois do lançamento do jogo original, Mega Man permanece como um dos mascotes mais importantes dos videogames.

Veja mais sobre Keiji Inafune, o designer por trás de Mega Man, aqui.

Capcom, uh uh!

Ainda sobre consoles, para além das conversões de seus sucessos de arcades, a Capcom marcou a década de 1980 com jogos excepcionais baseados nas franquias da Disney. Começando com Mickey Mousecapade, um jogo de plataforma simples, originalmente desenvolvido pela Hudson e publicado pela Capcom, e chegando no auge com o clássico Duck Tales:

Duck Tales conseguiu ser um dos melhores jogos de plataforma do NES, um console conhecido pela excelência nesse tipo de jogo. O sucesso das aventuras de Tio Patinhas e seus sobrinhos levou a uma sequência de jogos baseados nos desenhos de sucesso da Disney do fim dos anos 1980/inicio dos 90, como Chip and Dale Rescue Rangers, The Little Marmaid, Darkwing Duck, Tale Spin e até mesmo a um jogo baseado nos parques temáticos da Disney, com Adventures in the Magic Kingdom.

Na geração 16 e 32-bits, a relação Disney-Capcom prosseguiu com grandes títulos, com a franquia Disney's Magical Quest, Goof Troop, Disney's Alladin e Magical Tetris Challenge. O último título Disney dessa fase foi The Nightmare Before Christmas: Oogie's Revenge, lançado em 2004 para PlayStation 2.

Anos depois, em 2013, a Capcom retomou essa parceria de sucesso para o lançamento de Duck Tales: Remastered, remake do clássico de 1989. Um dado curioso desse jogo foi a presença de Alan Young, o dublador original do Tio Patinhas, então com 93 anos. O ator morreu três anos depois, fazendo sua participação em Duck Tales: Remastered um de seus últimos trabalhos.

O Lutador mundial

A virada de década viu o nascimento de uma revolução nos arcades: Street Fighter 2: The World Warrior. Não é exagero dizer que o mundo dos videogames nunca mais foi o mesmo depois desse jogo, pois para além do fenômeno comercial mundial, Street Fighter 2 se transformou na base para todos os jogos de luta que vieram a seguir. Seu lançamento exclusivo alavancou o Super Nintendo, se tornando o primeiro jogo de uma produtora terceirizada a vender mais de 1 milhão de cartuchos. SF2 se transformou em um produto da cultura popular, aparecendo em desenhos animados vários, quadrinhos, mangas, e até um filme que a despeito ser uma absoluta bomba, rendeu mais de US$ 100 milhões em bilheteria (valores da época).

Ainda segundo o livro The Ultimate History, mais de 60.000 gabinetes de Street Fighter 2 foram vendidos mundialmente, um número recorde. Após o sucesso de Street Fighter 2, a Capcom expandiu seu portfólio de sucessos de luta com títulos próprios como Darkstalkers, e com uma bem sucedida parceria com a Marvel, com jogos como X-Men: Children of Atom, Marvel Superheroes e X-Men vs Street Fighter.

SF - Divulgação - Divulgação
Street Fighter 30th Anniversary Collection
Imagem: Divulgação

Hóspede Maldito

A década de 1990 ainda comportou outro fenômeno "gamístico" e cultural na forma da clássica franquia Resident Evil. Partindo da base deixada por Alone in the Dark, quatro anos antes, Resident Evil foi um dos grandes sucessos quando foi lançado em 1996 para o PlayStation. Criador do termo e do gênero "horror de sobrevivência", Resident Evil fez o jogador ter que sobreviver a uma mansão cheia de zumbis e armas biológicas com poucos recursos, isso em um tempo que os jogadores estava acostumados e jogos que incentivavam detonar inimigos com as armas mais poderosas possíveis, como era o caso dos FPS daquele tempo.

Assim como Street Fighter, Resident Evil hoje é um produto multimídia, calcado na cultura popular através de filmes, livros, animações, etc; sem esquecer da própria franquia de jogos, com sete títulos de enorme sucesso, além de dezenas de jogos derivados.

RE 2 - Divulgação - Divulgação
Resident Evil 2 Remake
Imagem: Divulgação

Temos que pegar (Monstros gigantes)

Já nos anos 2000, a Capcom se aventura no nascente gênero do MMORPG para lançar seu Monster Hunter, inicialmente para PlayStation 2, em 2004. A franquia rapidamente se torna um gigantesco sucesso no Japão, ganhando versões para Sony PSP, Nintendo Wii, Nintendo 3DS, PlayStation 4 e Xbox One.

Monster Hunter - Divulgação - Divulgação
Monster Hunter - World: Iceborne
Imagem: Divulgação

Por fim...

Simplesmente não dá para pensar, não apenas em jogos japoneses, mas em videogames em geral sem pensar em algum título da Capcom. Isso porque além dos títulos mencionados acima, ainda há uma miríade de títulos de sucesso como Devil May Cry, Phoenix Wright, Dead Rising, Breath of Fire, Dino Crisis, Captain Commando, Onimusha, etc Dada a qualidade e o sucesso de títulos recentes, é fácil notar que a Capcom ainda tem um longo caminho pela frente na indústria dos videogames.

DMC 5 - Divulgação - Divulgação
Devil May Cry 5
Imagem: Divulgação

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol