Topo

E3 2019


Ikumi Nakamura: quem é a mulher que abalou a E3 2019

Ikumi Nakamura apresentou "GhostWire: Tóquio" na conferência da Bethesda - Christian Petersen/AFP
Ikumi Nakamura apresentou "GhostWire: Tóquio" na conferência da Bethesda Imagem: Christian Petersen/AFP

Gabriel Francisco Ribeiro

Do START, em São Paulo

11/06/2019 18h00

Resumo da notícia

  • Ikumi Nakamura ficou menos de dois minutos no palco e roubou o coração da galera
  • Japonesa carismática trabalha como diretora de criação na Tango Gameworks
  • Nakamura fez brincadeiras, gestos e poses que arrebataram a internet
  • Ela já trabalhou em jogos consagrados como "Okami" e "Bayonetta"

Keanu Reeves pode até ter levado a plateia ao delírio durante a apresentação de "Cyberpunk 2077" na E3, mas quem roubou o espetáculo para si foi uma simpática desenvolvedora durante a conferência da Bethesda, também no último domingo (9).

O nome dela é Ikumi Nakamura, japonesa que trabalha como diretora de criação da Tango Gameworks, Ela fez uma breve aparição durante a conferência da empresa, mas foi o suficiente para explodir de encanto as redes sociais com seu carisma, gerando memes carinhosos, gifs diversos e muitas "fan arts" de quem já acompanhava o trabalho dela.

Mas de onde ela veio? E o que está por trás de tanta empolgação?

Nervosismo e gestos

Nakamura conseguiu fugir das apresentações coreografadas das conferências tradicionais. Ao subir ao palco, falando em inglês, a sorridente japonesa já mostrou ser diferente. Repetiu várias vezes a palavra "uau" e se impressionou: "quanta gente!". Na sequência, agradeceu os aplausos tanto em inglês quanto em japonês e fez gestos corporais que já tiraram alguns sorrisos do público.

A própria roupa descolada que a japonesa vestia era uma surpresa. Entre eventos com executivos normalmente de terno e afins, ela botou simplesmente uma calça preta e uma camisa social preta com transparência, com outra regata preta por baixo. No pescoço, um colar também da cor preta completava o look diferentão para os padrões da E3.

'Eu amo Ikumi Nakamura?!!
Literalmente berrando
E também berrando mais ainda por diretoras criativas femininas!!"

Com claro sotaque, ela seguiu se impressionando e admitiu, claramente emocionada por participar da conferência: "um palco tão grande quanto esse me deixa nervosa e eu dou o meu melhor para falar em inglês". Foi o suficiente para conseguir ser adotada como fofa pela internet afora.

Ela era a responsável por apresentar o game "GhostWire: Tóquio" e fez isso com maestria. Mesmo se dizendo nervosa, conseguiu se diferenciar totalmente de outros executivos com mudanças na entonação de voz e gestos no palco que atraíram risadas e encantaram todo mundo.

Ao falar que o jogador encontrará espíritos perigosos e outros pacíficos no game, alternou o tom de voz de grave para o agudo, respectivamente. A apresentação de um game que tinha tudo para ser "mais do mesmo" saiu do lugar comum entediante e rendeu um momento de genuína empolgação pelos games.

Encerramento espetacular

Para fechar a apresentação de menos de dois minutos, Nakamura fez uma piadinha. Primeiro, explicou que no jogo teremos que nos perguntar o que é normal e o que é paranormal. E aí soltou:

"Eu me pergunto sobre isso toda vez que vou para o escritório", disse, para risadas e aplausos do público. E aí rapidamente completou: "tô brincando, tô brincando, tô brincando".

Na hora de dar tchau, Nakamura ainda aproveitou para soltar agradecimentos e, de forma surpreendentemente energética, fez uma pose com braços e pernas para cima, antes de se retirar do palco com pulinhos. Obviamente, foi ovacionada na conferência e no Twitter. Que mulher!

Ikumi Nakamura já trabalhou em jogos como "Okami" (foto), "Bayonetta" e "The Evil Within" - Divulgação
Ikumi Nakamura já trabalhou em jogos como "Okami" (foto), "Bayonetta" e "The Evil Within"
Imagem: Divulgação

Carreira de respeito

E não é só pelo carisma no palco que Nakamura merece seu respeito. A japonesa é uma das designers mais consagradas do momento. Na carreira, já trabalhou nos jogos "Okami", "Bayonetta" e "The Evil Within".

Em 2014, ela havia recebido elogios de ninguém menos do que o famoso produtor e diretor Shinji Mikami, que trabalhou por anos na Capcom, sendo um dos criadores da série "Resident Evil". Mikami, em 2010, fundou o estúdio Tango Networks, onde Nakamura trabalha. Em entrevista ao Polygon há cinco anos, o nome de Nakamura foi elogiado por Mikami.

Nem posso prever o que Nakamura é capaz de pensar. Ela é absolutamente única
Shinji Mikami

A japonesa foi a primeira mulher que Mikami escolheu como diretor em potencial de jogos. Na época, a japonesa se mostrou humilde e afirmou que o "senhor Mikami parece pensar que sou um animal estranho". Mas foi além e apontou que seu trabalho vem do coração, diferente de outros artistas.

Artistas conceituais geralmente se envolvem com a qualidade visual de seu trabalho, mas acho que a ideia no coração é o mais importante
Ikumi Nakamura

Vai fundo na ideia que vem do coração, Nakamura. Afinal, o nosso e de todo o mundo você já ganhou com a sua simpatia!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

E3 2019