PUBLICIDADE

Topo

GGWP

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

E-Paulistão traça conexão entre raízes e modernidade

E-Paulistão Futebol Virtual - Divulgação/E-Paulistão
E-Paulistão Futebol Virtual Imagem: Divulgação/E-Paulistão
Leo Bianchi

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CS:GO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e pro-player frustrado. No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, jogadores e novidades em geral.

Colunista do UOL

28/03/2021 09h00

Em meio às restrições impostas pela pandemia do coronavírus e condições cada vez mais complicadas para a prática do esporte, o Campeonato Paulista tem proporcionado algumas cenas curiosas - como São Bento x Palmeiras e Mirassol x Corinthians em Volta Redonda, no Rio de Janeiro. Diante dessa situação, os eSports ganham espaço e se tornam cada vez mais relevantes - com direito, no caso do tradicional estadual, a uma versão dos games, no PES 21.

O E-Paulistão, na primeira fase, será disputado por 15 dos 16 times que jogam a divisão de elite do torneio (com a Portuguesa no lugar do Palmeiras, por questões de licenciamento). Na segunda, prevista para o semestre final de 2021, 48 times que jogam as três séries principais (A1, A2 e A3) do estadual serão contemplados. Um espaço para que os clubes do interior reacendam rivalidades históricas e se modernizem de uma forma inteligente dentro do cenário esportivo.

- Queremos dar aos torcedores experiências que vão além da bola rolando. Os eSports são realidade, e estamos incentivando os clubes a abraçar novos segmentos que possam engajar os torcedores e, consequentemente, gerar valores e oportunidades para suas marcas - disse Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol.

O torneio terá um calendário próprio, quatro troféus em disputa, e cada clube sendo representado por um profissional e um jogador que virá de seletivas - que estarão disponíveis até o dia 15 de abril. Além de aumentar o engajamento dos clubes do interior com seus torcedores, a iniciativa, promovida em parceria entre a FPF e a agência 7WPlay, representa um avanço no que diz respeito à forma como o futebol virtual é enxergado.

- Vemos no E-Paulistão a chance de a Federação Paulista engajar todos os seus públicos e ampliar o seu alcance e, claro, o seu leque de patrocinadores. Os apaixonados por games de futebol representam hoje uma comunidade que não para de crescer. Estabelecer raízes com este público coloca a marca da FPF em consonância com os desejos das próximas gerações de torcedores, que não querem limitar a sua relação aos jogos e ao noticiário esportivo - explicou Felipe Carvalho, CEO da 7WPlay.

Haverá transmissão das partidas nos canais da Federação Paulista de Futebol no YouTube e na Twitch. Uma forma fundamental de conectar o esporte mais popular do mundo a um novo público que, cada vez mais, vê nos esportes eletrônicos sua principal forma de entretenimento e se mostra totalmente independente da televisão, por exemplo. Ter a humildade de reconhecer essa expansão é um passo necessário e esperto por parte da entidade.

Para quem já gosta de futebol, o Paulistão é um patrimônio. Para quem ainda não gosta, pode se tornar a partir de agora. Assim como teremos torcedores observando os eSports com mais carinho ao verem seus times de coração envolvidos, também teremos fãs de games que podem olhar para o futebol "tradicional" com outros olhos. Todos ganham(os).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL