PUBLICIDADE
Topo

Ricardo Feltrin

Novo humor: Há 10 anos nascia grupo que chutou o "Pânico" da TV

Ângelo Campos. Tatola Godas, Ricardo Mendonça e Dennys Motta - Divulgação
Ângelo Campos. Tatola Godas, Ricardo Mendonça e Dennys Motta Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

08/05/2022 00h09

Esta segunda-feira (09) traz uma efeméride importante para o rádio e a TV. Marca o dia em que quatro amigos irreverentes estrearam em FM. Eles fizeram tanto sucesso que, em apenas 2 anos, chegaram à TV.

Os amigos são Dennys Motta, Ângelo Campos, Ricardo Mendonça e Tatola Godas.

Em 9 de maio de 2012 nascia o programa "Quem Não Faz Toma", em horário nobre, na 89FM, de São Paulo..

Os quatro começaram falando mais de futebol, mas o horário (19h) acabou virando uma mistura de humor, entrevistas (muitas delas, sérias) e comportamento. Além de polêmicas.

Futebol ficou quase em segundo plano.

Para marcar a data eles farão um evento amanhã (09), para convidados.

Desde 2012

Mal estrearam na RedeTV, em 2014, apenas dois anos após no rádio, e já impulsionaram o ibope da emissora com o "Encrenca".

Em alguns meses, começaram a se tornar uma pedra no sapato da Record e do SBT, e nem enxergavam mais a Band no retrovisor.

Fizeram ainda mais: pregaram uma estaca na trajetória do "Pânico" na TV aberta. Após virar "freguês" por tanto tempo, a Band teve de dispensar a equipe da Jovem Pan (que hoje ainda está no ar na TV paga, mas pouco relevante).

Na Band

Após sete anos e 370 programas na RedeTV, mudaram de mala, cuia e produção para a Band, no Morumbi.

Hoje dão médias que variam de 2,5 a 3 pontos no Painel Nacional de Televisão (PNT). Às vezes até mais.

Mas, chegam a dar três ou quatro vezes mais que o velho "Encrenca", que continua a mesma fórmula, mas não tem o principal: apresentadores entrosados.

O retorno publicitário do "Perrengue" para a Band é bem satisfatório, pois é um programa incrivelmente barato.

A fórmula é a mais prosaica possível, mas ninguém havia pensado antes: quatro amigos (e são mesmo, e fora da TV, inclusive) comentando e rindo de vídeos captados na internet ou enviados por telespectadores.

Tudo de improviso, nenhuma grosseria, nada de mau gosto. É o que as pessoas gostam de ver na internet, só que na TV.

Os quatro amigos criaram um vínculo tão grande com o público que conquistaram um fornecimento infinito de vídeos —muitos exclusivos— dos fãs. Homens, mulheres, crianças, todo mundo manda vídeo do "Zap" para eles.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops