PUBLICIDADE
Topo

TV e Famosos

Polícia de Minas ouve cunhada de Ana Hickmann no hospital; ela passa bem

Ana e sua cunhada, Giovana, que foi baleada no último sábado em Belo Horizonte - Reprodução/Instagram/gioliveira12
Ana e sua cunhada, Giovana, que foi baleada no último sábado em Belo Horizonte Imagem: Reprodução/Instagram/gioliveira12
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

24/05/2016 17h47Atualizada em 24/05/2016 17h52

A equipe de polícia que investiga o atentado contra Ana Hickmann, no fim de semana, em Minas, colheu na tarde desta terça-feira o depoimento de Giovana Oliveira, cunhada de Ana e que foi baleada por Rodrigo Pádua --que foi morto pelo marido de Giovana, Gustavo Corrêa.

Um grupo comandado pelo delegado Flavio Grossi, esteve agora há pouco no hospital onde Giovana está internada, em recuperação dos dois tiros que levou.

O delegado não tem dúvidas de que se tratou de um caso de legítima defesa.

Segundo os médicos, sua situação é estável, mas ainda não há previsão para que ela tenha alta.

O caso ocorreu no último sábado em um hotel de luxo em Minas. Ana Hickmann estava na cidade para lançar sua primeira coleção “autoral” de moda.

Segundo a polícia, Rodrigo Pádua, 30 anos, desempregado, obcecado por Ana, invadiu o quarto da apresentadora e rendeu a ela e a Giovana. Gustavo, irmão de Alexandre Corrêa (marido e empresário da apresentadora) se recusou a obedecer suas ordens e se atracou com o homem, que estava armado.

Antes de ser desarmado e baleado, Rodrigo conseguiu disparar contra Ana, mas atingiu Giovana duas vezes.

No twitter: @feltrinoficial

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

TV e Famosos