Conteúdo publicado há 25 dias

Justiça determina bloqueio de R$ 11 milhões de ex de Samara Felippo

A Justiça determinou bloqueio de cerca de R$ 11,76 milhões de Leandrinho Barbosa, em disputa judicial com Samara Felippo.

O que aconteceu

Bloqueio de bens foi determinado em processo que corre desde 2014. Na mesma decisão, à qual Splash teve acesso, o juiz da 1ª Vara de Família da Barra da Tijuca também negou um pedido da defesa de Samara para o bloqueio de bens de Talita Rocca, esposa de Leandrinho.

Foram bloqueados R$ 11.760.508,15. Como o valor é alto, o juiz também determinou a penhora de imóveis que estejam no nome de Leandrinho.

Procurada, Samara Felippo afirma que não foi notificada da decisão do juiz. "A ordem não foi cumprida ainda, não recebi nada, a exposição antes de ser cumprida não nos ajuda. Os imóveis foram vendidos e nem sempre a penhora dá certo, precisamos esperar. Ele tem escondido patrimônio em nome de parentes, mas vamos conseguir", disse a Splash.

Leandrinho também foi procurado para comentar a decisão. Este texto será atualizado quando houver resposta.

A disputa judicial se iniciou em 2014

A dívida é referente a um imóvel comprado pelo ex-casal. Samara diz que abriu o processo após descobrir que a casa estava registrada no nome do irmão de Leandrinho — ela, que afirma ter dado entrada na compra do imóvel com seu próprio dinheiro, não teve direito à propriedade na separação de bens.

Ele nos EUA, eu tocava obra na casa. Quando veio a separação, cinco anos depois, descobri que a casa estava no nome do irmão dele. E eu luto na justiça, há quase dez anos. A Justiça já homologou e nada foi feito. A casa foi vendida e eu não recebi nada. Samara Felippo

Leandrinho diz que Samara estava ciente da transferência de titularidade. "A Sra. Samara é pessoa bem esclarecida, atriz renomada e conhecedora dos seus direitos, e sempre teve conhecimento sim de que o bem estava no nome do meu irmão, concordando inclusive com isso. A necessidade do registro em nome do meu irmão se deu por conta do meu domicílio fiscal não ser no Brasil, com concordância de ambas as partes", disse o ex-jogador. Samara nega.

Deixe seu comentário

Só para assinantes