Conteúdo publicado há 23 dias

Julio Cocielo: Justiça absolve youtuber de acusações de racismo

Júlio Cocielo, 30, foi absolvido pela Justiça de São Paulo, após o MPF (Ministério Público Federal) denunciar o youtuber por supostas postagens racistas nas redes sociais. A decisão cabe recurso.

O que aconteceu

Tribunal avaliou que, apesar de "moralmente reprovável", o crime não foi comprovado. Procurado por Splash, o MPF informou que ainda não foi notificado oficialmente.

Não há nada nos autos que denote que o acusado, cuja família é afrodescendente, tenha tido a intenção de fazer piada com o intuito deliberado de atingir a comunidade negra (da qual faz parte, inclusive). Rodiner Roncada, juiz federal

Procurada pela reportagem, a defesa do youtuber afirmou que prevaleceu a "liberdade de humor".

Ao final do processo, foi devidamente absolvido, prevalecendo a liberdade de humor e de expressão, garantias inerentes a um estado democrático de direito. Cury e Cury Sociedade de Advogados

O caso

As polêmicas de Cocielo com racismo vieram à tona com "piada" sobre o atacante francês Kylian Mbappé. O youtuber publicou no Twitter que o atleta "conseguiria fazer uns arrastões top na praia". O comentário foi feito durante a partida entre França e Argentina pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2018.

Diante da repercussão negativa, o influenciador apagou a mensagem e pediu desculpas. Cocielo divulgou um vídeo chamado "Ignorância"; nele, disse se sentir envergonhado por ter decepcionado sua mãe e agradeceu a quem o ajudou a entender questões como racismo institucional e racismo velado.

Eu fiz um comentário muito zoado, muito mal explicado, e gerou toda essa confusão que você está vendo agora. Eu tentei me referir à velocidade dele (Mbappé), e o comentário foi tão infeliz e mal explicado que acabou ofendendo algumas pessoas. Júlio Cocielo, em vídeo publicado no YouTube em 2018

Continua após a publicidade

O post fez com que usuários da rede procurassem postagens antigas de Cocielo e encontrassem outras frases. Em uma delas, em dezembro de 2013, ele escreveu: "O Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas. Mas já que é proibido, a única solução é exterminar negros".

O influenciador se disse "envergonhado" pelo que disse na adolescência e disse ter apagado 50 mil posts do Twitter. "Aquele monte de m... que eu falei é muito distante de quem eu sou hoje e do tanto que minha vida evoluiu de repente. O eu de um dia atrás já não é o eu de agora (...). Hoje, eu leio tudo aquilo que postei e me sinto envergonhado. Foram coisas absurdas."

Em meio à polêmica, ele perdeu patrocinadores. Cocielo perdeu a parceria com marcas como Adidas, Itaú e Submarino, que emitiram notas repudiando todo tipo de discriminação.

Denúncia sobre posts polêmicos partiu do Ministério Público de São Paulo e chegou ao MPF apenas em 2022. As alegações finais foram divulgadas em novembro de 2023.

Deixe seu comentário

Só para assinantes