Conteúdo publicado há 1 mês

Participante do Big Brother argentino descobre leucemia dentro do programa

Uma participante do Gran Hermano, o Big Brother da Argentina, recebeu o diagnóstico de leucemia enquanto estava confinada no reality show.

O que aconteceu

Juliana "Furia" Scaglione, 33, teve infecção urinária e o resultado de seus exames se mostraram "preocupantes". Ela realizou novos exames e, ontem (22) recebeu o diagnóstico de leucemia.

Furia recebeu a notícia e repassou a seus colegas. "Gente, eu tenho leucemia e não é brincadeira, não é piada."

Apesar do diagnóstico, ela vai continuar no "Gran Hermano". Furia explicou: "Eu tenho leucemia no estágio um. Não preciso tratá-la, apenas tirar sangue todos os meses. Pode ser que aos 40 anos eu tenha estágio três e estarei ferrada".

Aos colegas, ela disse que os médicos garantiram que ela pode continuar na competição. "Perguntei o que tenho que fazer e é o que eu faço: um estilo de vida saudável, não fumo tanto, não posso treinar como treinava, ou seja, não posso ser um atleta de alto rendimento. Só preciso tirar sangue."

Fiquem tranquilos, estou bem, senão não poderia estar aqui. Minha ideia é seguir em frente com tudo isso, que é a minha vida. (...) Quero que fique claro que esse jogo não fez nada para eu estar assim hoje. Acho que foi tudo que aguentei com minha família, a raiva que tenho, as coisas que não perdoei e que tenho que me libertar e curar, tenho que deixar ir. Furia aos colegas do Gran Hermano

O apresentador do Gran Hermano leu ao vivo parte do relatório médico de Furia. Santiago del Moro ressaltou que o laudo afirma que, no momento, ela não "necessita de tratamento específico, mas necessita de acompanhamento médico mensal que inclui exame laboratorial".

Quem é Furia?

A participante tem uma história de vida difícil e é apontada como a favorita da edição. A mãe de Furia morreu devido a um câncer em 2019 e seu pai morreu há um ano e meio. As perdas geraram desentendimentos entre seus irmãos e ela, que enfrentava uma série de dificuldades econômicas. Ela diz que ficou sem ter "o que comer" porque tinha que pagar as dívidas do pai.

Continua após a publicidade

Deixe seu comentário

Só para assinantes