Defante revela seleção para suruba com 50 pessoas: 'Quase um psicotécnico'

Mostrando que não se incomoda em falar de sua vida pessoal, Diogo Defante dá detalhes de como foi participar de uma suruba com 50 pessoas. Durante conversa com o apresentador Antonio Tabet, o humorista explica que suruba não é bagunça e que é necessário participar de uma seleção parecida com entrevistas de emprego para garantir sua participação.

'Processo Seletivo'

"É uma festa, que eu jamais vou divulgar. Você tem que fazer tipo um cadastro, tem entrevista pra saber se você não é uma pessoa escrota, um babaca que vai forçar alguém a alguma coisa. É quase um psicotécnico", conta. "Essa filtragem é maravilhosa, porque as pessoas realmente são legais. Rolou uma dinâmica de grupo [antes], foi bonitinho", completa.

O comediante se empolga e dá detalhes da experiência. "Era um hotel aqui em São Paulo, uma sala que já é um lugar pra isso, grandão, várias camas. Cheguei sozinho. (...) Entrei, a galera já seminua, tinha uma piscininha e fui pra ela".

"Em algum momento, me deu um pudor, mas depois eu percebi que estava sendo ridículo. Aí foi", diz. Diogo brinca que errou e acabou ficando de casal suruba, mas que foi uma ótima primeira vez, ficou impressionado e está pronto para próxima. "Uma parada que me impressionou foram os caras lá trocando ideia e tomando uma cervejinha."

Experiência na Copa

O comediante conta ainda como foi cobrir a Copa do Mundo de 2022, no Qatar. "Comecei a ficar confiante. (...) Entrei no Casé (transmissões de Casimiro) e a primeira entrada já viralizou, a que eu fingi que estava sem o som, que foi logo o bagulho do leão também. (...) Aí viralizou de novo, e eu ganhando confiança, inflaram meu ego... Fiquei: 'Sou o rei desse país, eu mando e desmando. Aí a primeira merda foi Cartolouco me deu um beijo na boca", disse.

Ele tacou um beijo na minha boca, tirou foto, postou no Twitter, Cartolouco sendo Cartolouco. Daí veio um comentário de alguém marcando um jornalista de lá e falando: 'Olha a atitude dos caras no seu país'. Diogo Defante

Continua após a publicidade

O comediante diz ter ficado preocupado, achando que seria mandado embora do país, mas a situação foi resolvida com a ajuda de um fã. "Ele pegou uma foto minha, fez uma montagem, disse que eu estava cotado pra ser presidente do Brasil e o jornalista comprou isso, apagou as mensagens".

Saudade da mãe

Se afastando do perfil humorista e revelando seu lado emocional, Defante fala de sua infância ao ver uma imagem sua criança, fantasiado de índio, e outra ao lado de sua mãe, que já morreu.

"Ouço ela até hoje. Tive um sonho com ela, ela bem. Imagino que ela estaria muito orgulhosa. Queria ter ela quando gravo meu programa, sentadinha, olhando. Ela gostava muito de me admirar. Todas as imagens que tenho criança, ela que fazia. É um anjo que vem na sua vida, te dá os nortes, se vai e fica a saudade", finalizou

Trocando com Tabet, Defante imagina como sua mãe estaria vendo seu trabalho se estivesse viva. "Ela estaria num misto. Orgulhosa com tudo e quase que brincando com essas paradas. Ela era bem esperta pra saber que é entretenimento que eu produzo. Ela ia entrar nessa zoeira: 'Já vai de fralda de novo?'. Ela ia estar explodindo de orgulho porque foi a pessoa que mais investiu em mim como artista".

Continua após a publicidade

Ela falava: 'Você vai tirar a família da lama'. Ela falava exagerando, mas faz um sentido. Diogo Defante

Íntegra:

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes