Conteúdo publicado há 2 meses

Mãe de Alexandre Pires foi detida em 2019 por 'gato' em rede elétrica

Alexandre Pires é suspeito de envolvimento com o garimpo ilegal em terras indígenas, mas não é o primeiro membro de sua família a ter problemas com a lei.

Maria Abadia Pires foi detida por uma ligação clandestina de energia elétrica, em 2019. Técnicos da Cemig identificaram o "gato" na casa da mãe do cantor, em Uberlândia (MG), em fevereiro daquele ano, quando ela solicitou um reparo técnico.

Mãe do artista foi autuada por furto, pagou fiança e foi liberada para responder ao processo em liberdade. Aos policiais, ela disse que não sabia da irregularidade. Ela afirmou que chamou um técnico para instalar um aparelho de ar-condicionado em sua casa no bairro Vigilato Pereira — a ligação clandestina foi descoberta assim que os funcionários da Cemig abriram a tampa do padrão de energia.

Investigação de Alexandre Pires

Alexandre Pires e seu empresário, Matheus Possebon, são investigados pela PF por suspeita de envolvimento com o garimpo ilegal em terras indígenas Yanomami. Advogado nega envolvimento de Alexandre Pires com garimpo ilegal.

O empresário do cantor foi preso preventivamente pela Polícia Federal, em Santos (SP). Ele foi detido logo após desembarcar do cruzeiro temático do artista nesta terça-feira (5).

Pires teria recebido pelo menos R$ 1 milhão de uma mineradora investigada pelo garimpo. Já seu empresário é suspeito de financiar a exploração na terra indígena yanomami e seria um dos "responsáveis pelo núcleo financeiro dos crimes", aponta a PF.

A investigação foi aberta em 2022 após a PF apreender quase 30 toneladas de cassiterita extraída ilegalmente. O material, recuperado em janeiro de 2022, estava na sede de uma das empresas suspeitas e seria enviado ao exterior.

Endereços ligados a Pires e Possebom foram alvo de buscas na segunda (3), na Operação Disco de Ouro. A Justiça Federal também autorizou o bloqueio de até R$ 130 milhões em bens dos investigados, mas não há detalhes de quanto desse valor pertence aos dois.

Continua após a publicidade

O esquema de garimpo ilegal movimentou R$ 250 milhões. Os policiais cumpriram dois mandados de prisão e seis de busca e apreensão em Boa Vista (RR), Mucajaí (RR), São Paulo (SP), Santos (SP), Santarém (PA), Uberlândia (MG) e Itapema (SC).

O que é a cassiterita?

A cassiterita é encontrada na forma de rocha bruta. Ela costuma ser vendida na forma de um pó concentrado, obtido após o processo de mineração. Ela também é útil para a extração de estanho, metal usado principalmente na produção de chapas, tubos e fios.

A PF afirma que os investigados pela extração em terras yanomami teriam montado um esquema para dar aparência de legalidade ao garimpo. A cassiterita seria extraída no território indígena em Roraima, mas declarada no papel como originária do Rio Tapajós.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes