'Podia f**** a Globo': como Eurico surfou em briga da emissora com SBT?

"Bem que a gente podia f*der a Globo". Foi assim que Romário, ex-atacante do Vasco, iniciou um relato sobre a ideia de Eurico Miranda que reanimou a rivalidade entre Globo e SBT — as principais emissoras de TV do país em 2001.

Dirigente do clube carioca, que morreu em março de 2019 aos 74 anos, estampou logo da emissora de Silvio Santos, 91, na camisa durante a disputa da final da Copa João Havelange — torneio exibido pela Globo na época.

A história é contada no documentário "A Mão do Eurico", lançado pela Globoplay neste mês. Além de presidente do Vasco, dirigente também foi deputado federal entre 1995 e 1999 pelo PPR. Depois, permaneceu no cargo até 2003 após ser eleito pelo PPB.

Desentendimento entre Eurico e Globo começou em dezembro de 2000. Uma reportagem da emissora mostrou a participação do dirigente na retirada de torcedores do gramado de São Januário após queda de alambrado — o que causou o adiamento da final da Copa João Havelange para janeiro de 2001.

O conteúdo mostrou Eurico apressando o atendimento médico na tentativa de retomar a partida, o que irritou o dirigente. A partida foi cancelada após decisão do então governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB).

Pedrinho, ex-atleta e atual presidente do Vasco, disputou a final. "Quando a gente chega para pegar a camisa, está aquele símbolo grandão. A primeira coisa que a gente pensou foi que o Silvio Santos estava patrocinando e pagaria os nossos salários atrasados. Só depois percebemos que o jogo passaria na Globo", disse em entrevista ao documentário.

Ninguém sabia dentro do SBT. Foi uma surpresa total. [...] Não sei se acreditam, mas a gente realmente não sabia de nada.
Fernando Pelegio, ex-diretor artístico do SBT, ao documentário 'A Mão do Eurico' (Globoplay)

Romário comemora o título e exibe a camisa do Vasco com a logo do SBT
Romário comemora o título e exibe a camisa do Vasco com a logo do SBT Imagem: Antônio Gaudério / Folhapress

Disputa entre as emissoras era intensa desde os anos 1980, quando Silvio Santos e Faustão concorriam aos domingos, e seguiu crescendo na década seguinte. A briga pelo primeiro lugar no país é retratada na série ficcional "O Rei da TV" (Star+), que fala sobre carreira do fundador do SBT.

Continua após a publicidade

Vencer a emissora rival virou o principal objetivo de Silvio Santos após o TSE reprovar a sua candidatura para a Presidência do país dias antes das eleições de 1989, segundo a produção. Para isso, Silvio pensou em maneiras de "modernizar a sua programação" na chegada dos anos 1990.

"'A Globo tinha acabado de levar o Jô Soares em 2000. Eles virão aqui fazer um shopping center só de retaliação', pensei. Ligamos para todas as pessoas do marketing e descobrimos que ninguém cedeu o logotipo ao Vasco", lembrou Fernando Pelegio. Diretor deixou o SBT em setembro após permanecer na empresa por 43 anos.

Eurico Miranda deu entrevista ao SBT na época. "Foi uma oportunidade de prestar uma homenagem ao SBT. Acredito que eles não esperavam. [...] Eu vou colocar o SBT na camisa, e eles não me pagam nada", mostra um trecho do documentário. O Vasco foi campeão do torneio após vencer o São Caetano por 3 a 1 no Maracanã.

Foi a única partida do Vasco com o logo do SBT na camisa. "Conseguiram a camisa do Romário. Chegando aqui em São Paulo, alguns diretores tomaram essa camisa e deram para o Silvio Santos. Está com ele hoje", completou Pelegio. "Está bem guardada", brincou Romário sobre o caso.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes