Livros no Centro: Ruth Rocha e irmã já leram mais de 50 livros juntas

Pode até tentar, mas se bater na porta ou ligar para a casa da escritora Ruth Rocha entre quatro e cinco da tarde não vai receber nenhuma resposta. Isso porque a escritora e sua irmã, Rilda, têm uma sessão diária de leitura compartilhada. E, para elas, nada parece ser mais valioso que esse encontro.

Esses momentos juntas, quando Rilda conta histórias e Ruth escuta, guiam o sexto episódio do podcast Livros no Centro, "As Coisas Que a Gente Fala". O podcast é uma produção da Livraria Megafauna com distribuição do UOL (você pode ouvir o programa completo no arquivo acima).

Já faz tempo que Ruth, 92, é uma das escritoras brasileiras de livros infantojuvenis mais relevantes da atualidade. Tem 215 livros escritos, foi oito vezes vencedora do Prêmio Jabuti, é membro da Academia Brasileira de Letras e ajudou a formar gerações e gerações de leitores. Tudo isso em mais de 50 anos de carreira.

Nesse meio século de escrita, Ruth criou um mundo inteiro povoado por reis, camaleões, coelhos e borboletas para contar histórias sobre temas que nem sempre eram direcionados a crianças. Algo que só foi possível graças à reunião de obras que leu e releu — boa parte delas apresentada pela irmã mais velha, Rilda, ou até lida por ela, nesses encontros diários de leitura compartilhada (ouça a partir de 2:45).

Há anos, a Ruth tem glaucoma, o que lhe custa bastante energia para ler (ouça em 7:54): "Tenho um olho cego e o outro enxerga. Então, eu leio, mas me cansa". Por isso, por volta de 2015, percebeu que teria que diminuir o ritmo de leitura. Foi quando a irmã começou a ler para ela.

Nós gostamos muito de ler e gostamos muito da companhia uma da outra. Digo que a Ruth sempre foi minha melhor amiga. Rilda (em 8:48)

Aos sábados, as duas almoçavam juntas e então Rilda lia algumas páginas em voz alta para Ruth. Quando a pandemia chegou, o encontro presencial teve que ser substituído por ligações telefônicas -- o que não foi um problema. Na verdade, só aumentou a quantidade de sessões de leitura e páginas viradas.

"Todos os dias às 16h nós sentamos e lemos. É muito bom para nós duas, eu me divirto tanto quanto ela", conta Rilda (a partir de 10:09). "Eu leio um parágrafo e aí a gente conversa. Então, é um livro que fica vivo."

A escritora, em suas duas centenas de livros, fala dos mais variados assuntos, muitos deles bastante duros, embora sempre tenham uma perspectiva otimista. Sua estreia na literatura foi com um título sobre preconceito —"Palavras, Muitas Palavras"— motivado por um questionamento da filha, Mariana, sobre desigualdade racial quando era criança.

Hoje adulta, Mariana já escreveu livro e teve filhos. "Meu nome é Pedro, tenho 25 anos e minha profissão é ser neto da Ruth Rocha [risos]. Não é minha profissão, mas é minha coisa favorita", contou o filho da Mariana no podcast (a partir de 16:56). Pedro também lê histórias para Ruth, hábito que aderiu durante a pandemia.

Quando Ruth, Rilda e Pedro se juntam já fica mais difícil de a leitura avançar. "Se estamos nós três, a gente fica batendo papo e não lê nada", contou o neto (21:44). O último livro que Pedro leu para a avó foi "Cem Anos de Solidão", de Gabriel García Márquez. E Ruth não tem medo de dizer que esse foi "o livro que eu mais gostei na minha vida. Eu já tinha lido. Mas eu gostei de ler com ele" (ouça em 21:56).

Continua após a publicidade

O podcast Livros no Centro é apresentado por Rita Palmeira, curadora da livraria Megafauna, e por Flávia Santos, livreira e coordenadora da loja. O livreiro Flávio Augusto também participa deste episódio.

Você pode ouvir o podcast quinzenal —publicado sempre às quartas-feiras— em Splash, no YouTube, no Spotify ou em sua plataforma de áudio favorita.

A seguir, a lista de livros citados no episódio 6:

"A Ilusão da Alma: Biografia de Uma Ideia Fixa", de Eduardo Gianetti (Companhia das Letras)
"O Irmão Alemão", Chico Buarque (Companhia das Letras)
"Guerra e Paz", L. Tolstói (Companhia das Letras - tradução de Rubens Figueiredo)
"Os Irmãos Karamázov", F. Dostoiévski (Editora 34 -- tradução de Paulo Bezerra)
"Anna Kariênina", L. Tolstói (Editora 34 - tradução de Irineu Franco Perpétuo)
"Escravidão", v.1, Laurentino Gomes (Globo Livros)
"A cidade e as Serras", Eça de Queirós (Ateliê Editorial)
"Marcelo, Marmelo, Martelo", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Mariana Massarani)
"Trópicos Utópicos", Eduardo Giannetti (Companhia das Letras)
"O Homem Que Amava os Cachorros", Leonardo Padura (Boitempo - tradução de Helena Pitta)
"O Despertar de Tudo: Uma Nova História da Humanidade", David Graeber e David Wengrow (Companhia das Letras - tradução de Claudio Marcondes e Denise Bottmann)
"Histórias Das Mil e Uma Noites", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Alexandre Rampazo)
"Ruth Rocha Conta a Ilíada", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Eduardo Rocha)
"Ruth Rocha Conta a Odisseia", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Eduardo Rocha)
"Romeu e Julieta", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Mariana Massarani)
"Palavras, Muitas Palavras", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Raul Fernandes)
"Mordaça: Histórias de Música e Censura em Tempos Autoritários", João Pimentel (Sonora Editora)
"O Reizinho Mandão", Ruth Rocha (Salamandra - ilustrações de Walter Ono)
"Cem Anos de Solidão", Gabriel García Márquez (Record - tradução de Eric Nepomuceno)
"O Amor Nos Tempos do Cólera", Gabriel García Márquez (Record - tradução de Antonio Callado)
"O Outono do Patriarca", Gabriel García Márquez (Record - tradução de Remy Gorga Filho)
"As Cidades Invisíveis", Italo Calvino (Companhia das Letras - tradução de Diogo Mainardi)
"Bichos", Miguel Torga (Pontes)
"Poesia Completa", Miguel Torga (Dom Quixote)
"O Gênio do Crime", do João Carlos Marinho (Global)
"O Que É Ser Uma Escritora Negra Hoje de Acordo Comigo", Djaimilia Pereira de Almeida (Todavia)
"O Inferno Musical", Alejandra Pizarnik (Relicário)
"Extração da Pedra da Loucura", Alejandra Pizarnik (Relicário)
"Racismo Estrutural", Silvio Almeida (Jandaíra)
"As Mil e Uma Noites", ed. de Antoine Galland (HarperCollins - tradução Alberto Diniz)
Série "A Bruxa Onilda", Enric Larreula e Roser Capdevila (Scipione)
"A Divina Comédia", Dante Alighieri (Editora 34 - tradução de Italo Eugenio Mauro)
"E Foi Assim Que eu e a Escuridão Ficamos Amigas", Emicida (Companhia das Letrinhas - ilustração de Aldo Fabrini)
"Um Saci no Meu Quintal", Monica Stahel (WMF Martins Fontes)
"Pantaleão e as Visitadoras", Mario Vargas Llosa (Alfaguara - tradução de Paulina Wacht e Ari Roitman)
"O Compadre de Ogum", Jorge Amado (Companhia das Letras)
"A Morte e a Morte de Quincas Berro D?Água", Jorge Amado (Companhia das Letras)
"Precoce", Ariana Harwicz (Instante, tradução de Francesca Angiolillo)
"Escrita em Movimento: Sete Princípios do Fazer Literário", Noemi Jaffe (Companhia das Letras)
"Os Profetas", Robert Jones Jr. (Companhia das Letras, tradução de Viviane Souza Madeira)
"Os Substitutos", Bernardo Carvalho (Companhia das Letras)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes