Conteúdo publicado há 9 meses

Reynaldo Gianecchini diz que foi confundido com homem-bomba em aeroporto

Reynaldo Gianecchini, 50, contou detalhes de um "perrengue" que vivenciou ao ser confundido com um homem-bomba durante viagem a Israel.

O ator abordou o assunto no podcast Sem Nome Pode. Segundo contou, ele sempre teve o sonho de conhecer Israel e foi sozinho ao país. O artista destacou que não é fácil entrar em Israel devido a todas as questões de segurança nacional, porque eles vivem em conflito com outros países vizinhos e têm um histórico de guerras.

Entretanto, Gianecchini ressaltou que entrar em Israel foi relativamente fácil, mas o difícil foi sair. "Não é tão fácil de entrar [lá], é um país que tem muita segurança, mas eu entrei até que bem, o problema foi a saída", iniciou.

Reynaldo explicou que durante a viagem ganhou algumas roupas e usou uma delas ao ir embora. Ele vestiu uma camiseta e não percebeu que na peça tinha a foto de um homem encapuzado. Para completar o look, o ator também usou um cachecol quadriculado, parecido com o usado pelos árabes.

"Quando fui embora eu tinha ganho umas roupas incríveis, destruidinhas, meio raladas, tinha uma camisa meio quadriculada, que eu falei 'que maneira', e eu não me toquei direito, mas tinha uma foto que era na verdade um homem encapuzado. Usei também um cachecol que comprei lá, todo quadriculado, que lembra muita a coisa árabe, o que assusta um pouco eles também", continuou.

"Enfim, eu entrei no aeroporto, um cara lá na frente, antes de entrar na virada da porta, o cara olhou para mim e pregou um negócio na minha mala. A partir daquele momento nunca mais me deixaram dar três passos sem eu dar 50 mil depoimentos. Dificultaram horrores minha vida, pegaram minha mala, escanearam roupa por roupa, levaram para um lugar e ficavam fazendo as mesmas perguntas o tempo todo, durante horas e horas, aí eu passava de um lugar, dava mais 10 passos, passava por outro lugar, vinha mais gente [me fazer perguntas]", explicou.

Ator teve medo de ser preso. "Juro, eu fiquei com vontade de chorar, achei que eu ia ser preso. Aí eu falei: 'Por que eles estão cismando comigo?' Depois eu vi que parecia para eles um símbolo do terrorismo na minha camiseta, com aquele cachecol, eles juraram que eu era um homem-bomba. Fui entender só depois, mas quase perdi meu voo. Deixaram embarcar na última hora. Juro, demorou umas 3h30m para chegar lá no embarque".

Por fim, Reynaldo Gianecchini ponderou que só "se tocou depois" que eles pensaram que ele fosse algum terrorista porque os funcionários do aeroporto não explicaram o motivo de tanta suspeita. Ainda, o artista chegou a cogitar que tivessem colocado drogas em sua mala, e disse que "o perrengue foi foda".

Deixe seu comentário

Só para assinantes